Skip to main content

Header Social Network

SIGA NOSSAS REDES!
Home

Header Right Logoes

INSPIRADO POR:

PRIMEIRA VEZ

PRIMEIRA VEZ

image_icon_white: 
image_icon_pink: 
image_icon_green: 
image_icon_blue: 

Primeiro fim de ano longe da família. Veja histórias de quem passou por essa situação e como lidar com ela

Comemorar a virada do ano é uma tradição no mundo inteiro. A noite do dia 31 de dezembro é sempre marcada por muita animação, música e amor, por isso, nada melhor do que estar cercado por aquelas pessoas que amamos. E quando, pela primeira vez, por algum motivo, você não vai estar ao lado de sua família? Pode parecer que não será a mesma coisa, mas acredite, dá para ser tão maravilhoso quanto, é só saber se organizar. Reunimos histórias de 3 meninas que viveram essa experiência e elas contam como lidar com isso.


 

“Vai ficar para sempre na sua memória!”

 

Fernanda David tem 19 anos e já passou a virada longe da sua família. “Estava rodeada dos meus amigos que eu amo”, conta ela. Passar o ano novo com os pais é um estilo, e com os seus amigos acabam sendo algo totalmente diferente. A jovem relata que ambas as experiências são ótimas, mas que ainda prefere estar nesse momento com o seu grupo. “É outra vibe, prefiro estar com os meus amigos”, explica. Além disso, a programação sempre inclui uma boa festa e muita dança, difícil não curtir né? No entanto, quando vira meia noite no dia 1, Fernanda não deixa de ligar e falar com seus pais. Se você vai viver essa nova experiência, a dica dela é fazer tudo o que quiser!



Foto: Arquivo Pessoal
 

“Planejamento é tudo”

 

Já a Anna Carolina tem 21 anos e fez uma viagem com seus amigos para comemorar o final do ano. Ela conta que cada etapa foi pensada e preparada em grupo. “Organizamos compras de comes e bebes e fizemos uma festa com amigos somente”, explica. A virada foi repleta de fogos, champagne para comemorar e dança até a madrugada. Entretanto, para que tudo seja um sucesso é preciso organização. “Você precisa planejar primeiramente como vai ser a noite, escolher se vai ter comida e bebida, além de programar uma playlist de músicas”, indica a jovem.

 

Essa é uma das grandes diferenças de passar com a família, já que, normalmente, são os mais velhos os responsáveis para organizar. “E você tem menos gastos, pois, geralmente, eles acabam pagando tudo”, completa. Por isso, Anna dá a dica de primeiro guardar o dinheiro. Então, comece a planejar. “É uma ocasião para confraternizar e passar com quem e onde você se sentir mais à vontade”, destaca.


Foto: Arquivo Pessoal

 

“Aproveite essa nova experiência”

 

Passar a virada do ano longe da família pode ser uma experiência bem tranquila. Foi assim para a Sofia Malta, de 20 anos. “Estava com minhas melhores amigas e foi como estar em casa”, conta ela. Com seus amigos a noite envolve mais programações e festas. Porém, estar longe dos familiares não significa deixá-los de lado nesse início de um novo ano. Mesmo preferindo passar com o seu grupo, não importa onde ou quem esteja, a jovem telefona para desejar feliz ano novo para os pais. Além disso, ela lembra que o importante é não se apegar a falta deles para não estragar o momento. Por isso, curta cada segundo!



Foto: Arquivo Pessoal

6 coisas que você deve saber antes de fazer sua primeira tatuagem

Fazer uma tatuagem é uma atitude que deve ser muito bem pensada. Ela pode ter algum significado especial, ser uma homenagem para alguém importante, ou ser um desenho muito bonito. Também pode ser grande ou pequena, e em praticamente qualquer parte do seu corpo! Tudo isso deve ser refletido e decidido antes do grande momento. Afinal, pode parecer um clichê, mas ela vai estar com você pelo resto da sua vida. Veja algumas coisas que você precisa saber antes da sua primeira tattoo!

 

1) Existem profissionais especializados em certas técnicas

 

Tatuagens com a linha mais fina, mais grossa, estilo old school, pontilhado, aquarelada… Existem diferentes tipos de traços e técnicas utilizadas hoje em dia. Por isso, alguns profissionais são especializados nesses diferentes estilos. Caso você opte por algum deles, procure um tatuador que mande bem neles!  Dê uma olhada em seus trabalhos anteriores e veja se eles combinam com o que você está procurando.

 

2) Certas partes do corpo doem mais que outras

 

Costelas, atrás do joelhos, virilha e pés são algumas das regiões do corpo mais sensíveis à dor quando se trata de tatuagem. Portanto, quando você vai fazer a sua primeira é ideal procurar evitar essas áreas! Caso não seja possível, tente conhecer sua sensibilidade e converse antes com o profissional, ele poderá indicar certos cuidados a serem tomados antes, como o uso de pomadas anestésicas por exemplo. Já outros lugares menos sensíveis, a dor não vai passar de um arranhãozinho incômodo, que depois de um tempo você até para de sentir. Além disso, saiba que tatuagens nos dedos, nos pés ou nas mãos costumam sair ou se desgastar com o tempo!

 

3) Conheça o estúdio antes ou pegue indicação com alguém de confiança

 

Lembre-se que tatuagem é uma coisa séria. Além de ser um desenho que vai ficar na sua pele pelo resto da sua vida, sua saúde também está em jogo. Tenha certeza de que o estúdio é um ambiente limpo, os profissionais são gente boa e fazem boas artes. O ideal é que você visite o local antes, mas também pode pegar uma indicação com um amigo de confiança. Se quiser, você pode pedir ao tatuador para ver a sua licença!

 

4) Alguns cuidados são necessários durante a cicatrização

 

Enquanto a tatuagem está em processo de cicatrização alguns cuidados serão necessários. Pegar sol ou entrar no mar ou na piscina terão que ficar de fora da sua rotina por certo tempo. Por isso, você pode querer planejar sua primeira tattoo para uma época em que não pretenda fazer essas coisas! Além disso, existem também restrições alimentares que podem ser indicadas, como evitar alimentos gordurosos, por exemplo.

 

5) É normal descascar e sentir coceira

 

Durante o processo de cicatrização é normal sentir uma certa coceira na área da tatuagem. Mas não caia nessa tentação! Se coçar, você pode prejudicar o desenho, fazendo com que fique falhado. O tatuador pode recomendar alguma pomada para ajudar no processo de cicatrização, que costuma durar por volta de duas semanas.

 

6) Você pode voltar para retocar depois

 

É super normal que a tatuagem fique com algumas falhinhas ou partes mais fracas, principalmente se for com traço fino ou cheia de detalhes. Não tenha medo ou vergonha de pedir para retocar depois! Seu tatuador vai fazer isso com o maior prazer.

Primeira viagem de Réveillon com os amigos? Confira 5 dicas para não passar perrengue!

Vai viajar com os amigos no Réveillon? Então chegou a hora de se planejar para nada sair diferente e ninguém precisar passar perrengue. Para isso é preciso se programar com antecedência, calcular gastos e economizar, organizar as tarefas e montar uma programação. Lembrando sempre, claro, que uma boa conversa com os amigos para alinhar expectativas vai facilitar e muito a convivência. O Só Delas separou 5 dicas para correr dos contratempos e aproveitar!

 

Programação é tudo

 

Planejar uma viagem não precisa ser um monstro de sete cabeças. É importante que você e seus amigos conversem muito sobre tudo (até porque todos querem aproveitar). Por isso, vale a pena montar uma programação para cada dia. Isso pode ser iniciado desde a etapa de escolha do destino, datas, transporte, por aí vai. Assim vocês terão uma visão completa de tudo que está para acontecer e o que precisam ainda resolver para dar tudo certo. Lembre-se de estar disposta a ouvir a opinião de todos, cada um quer poder fazer dessa viagem inesquecível.

 

 

Cada centavo conta e é importante

 

Não pense que é final de ano e, por isso, pode sair gastando tudo. Viajar com os amigos é entender que os gastos principais são compartilhados (ninguém quer que falte comida, né?). Uma dica é escolher aquele amigo que gosta de organizar. Deixe ele como responsável por checar as quantias de dinheiro e o que precisa ser comprado. O importante é não perder o controle e todos colaborarem. Com cada um ajudando, não fica pesado os gastos para nenhum lado. Assim a viagem vai começar já dando certo e, no final, você não vai estar com o bolso vazio.

 
 

Organize as tarefas

 

A menos que vocês fiquem em um hotel, essa etapa pode ser pulada. A maioria das viagens com os amigos incluem uma divisão de um espaço só para vocês. Pode ser casa ou apartamento, durante aqueles dias vocês vão dividir o mesmo lar e isso quer dizer que cada um tem seu tipo de “comportamento doméstico”. Para evitar brigas do tipo, “eu lavei a louça dois dias seguidos”, organizem as tarefas. Cada um precisa colaborar para que o todo funcione. Estruturem maneiras para dividir os afazeres, para que funcionem bem para todos.
 

 

Nada de brigas: deixe os problemas em casa


Uma das etapas mais importantes para que tudo dê certo ao longo da viagem é selecionar as pessoas que vão. Pense que vocês vão passar vários dias juntos e quem realmente está na mesma vibe que o grupo. Todos estão ali querendo aproveitar, por isso, nada de estresse. Qualquer discussão que aconteça logo criará um climão, que pode continuar no ar até o final da viagem. É importante pensar antes de falar e evitar brigas que possam arruinar tudo. Mantenha a calma e converse, é a melhor maneira de resolver qualquer incômodo.

 

Não obrigue ninguém, cada um aproveita como quer

 

Sair com uma pessoa que não quer estar lá é (com certeza) uma das piores situações. Viajar em grupo não é sinônimo de precisar fazer tudo juntos. Sim, você quer aproveitar os momentos com os seus amigos, mas isso não quer dizer que sejam todos. Deixe cada um livre para escolher o que deseja fazer, pode ser sair para festa ou ficar em casa. Isso é uma ótima maneira de evitar o temido “climão”. E, para completar, cada vai conseguir aproveitar a viagem como quer.

 

Morar com a melhor amiga dá certo? Veja a opinião de meninas que já passaram por essa experiência

Ter uma melhor amiga faz parte da vida de qualquer menina. Vocês são inseparáveis, companheiras, confidentes e por aí vai. Ainda pequenas, sempre surge aquela conversa com ela: “a gente vai morar juntas, combinado?”. Aí o tempo vai passando, a vida tomando rumos diferentes e, na maioria das vezes, o planejamento da mudança não acontece. No entanto, algumas sortudas conseguem realizar e partir para essa nova experiência. Foi isso que aconteceu, recentemente, com a Juliana e a Talita. Confira a história dessa dupla e como está sendo na prática.

 

Como tudo começou…

 

Ambas têm 28 anos e estão dividindo o lar há dois meses. Para completar a experiências, elas estão morando em Sydney, na Austrália! “As duas tinham um sonho de fazer intercâmbio na Austrália e planejamos juntas a ideia de fazer na mesma época”, conta Talita. E então a ideia começou a sair do papel e hoje é realidade.

 

Saiba um pouco mais sobre essa aventura da dupla

 

Além de decidirem juntas, o apoio da família pode ser um diferencial. “No início, acharam que iríamos nos matar morando juntas”, relata Talita. No entanto, os pais deram o suporte para que elas colocassem o plano em prática. Para elas, está tudo dando certo graças a irmandade da amizade. Além disso, é um aprendizado pois estão aprendendo a viver com as diferenças de ambas.

 

O importante é manter o equilíbrio e harmonia

 

Uma é da área de farmácia e a outra de ciência da computação, além de muitas outras diferenças entre si. Dividir a casa com alguém é uma decisão importante, já que vocês passarão por diversas dificuldades. Para Talita, as dificuldades vão desde a divisão de tarefas até a convivência em geral. Mas, segundo ela, sempre tem o lado bom: “Sabemos que uma sempre pode contar com outra  em qualquer momento”, diz, revelando ser sua parte favorita desse convívio.

 

Está pensando em morar com sua melhor amiga?

 

Elas conseguiram realizar, você pode ser a próxima. Para quem está pensando em começar a morar com a melhor amiga, Talita listou alguns pontos importantes para ajudar: ame bastante a pessoa com quem vai morar, aprenda a dividir tudo e engolir sapos. “Ao invés de discutir, cada um vai para um lado reflita e depois converse tudo irá se encaixar”, diz. A convivência constante pode ser uma grande dificuldade. Por isso, é de suma importância manter a harmonia e amizade. Não é nenhuma missão impossível, basta ambas trabalharem juntas. Afinal, vocês são melhores amigas, certo?

10 sinais de que você está se tornando adulta

O tempo é uma das poucas coisas que o ser humano ainda não consegue controlar. E então, em um piscar de olhos, ele vai passando e quando percebemos já estamos na vida adulta. A infância passou voando, a adolescência nem se fala e agora você está entrando nessa nova etapa cheia de desafios. Pode ser assustador, mas, fique calma, todos vão passar por ela - e sobrevivem para contar histórias. Além das experiências que vamos coletando, existem algumas pistas sobre estar se tornando adulta. Separamos dez desses sinais que começam a mudar e fazem você perceber essa diferença. Confira!


Enfrentar filas

 

Sabe aquelas tarefas que você associa a sua mãe? Pois é, ir ao banco, por exemplo, está nessa lista (com certeza). No entanto, quem está na fila agora é você. Essa responsabilidade é aquele famoso chá de cadeira que faz qualquer adulto arrancar os cabelos. A partir desse momento, você também está ali tirando uns fios já.




 

Agora é tudo com seu próprio din din

 

As férias estão chegando e a primeira coisa que você pensa é começar a planejar para onde ir. No entanto, isso não é mais um momento muito fácil e divertido. Aquela antiga conversa com os pais para liberarem uma verba, (infelizmente) acabou. Agora é tudo por sua conta. Prepare a calculadora e o cofrinho, a viagem vai sair do seu próprio bolso.

 

Ser chamada de “tia” por alguma criança

 

A gente só percebe o peso dessa palavra quando ela é direcionada a você. O termo assustador é usado pelas crianças para falar com pessoas adultas, que elas entendem como mais velhas. Por isso, quando um pequeno chama você assim, é o momento de o peso da idade nas suas costas.

 

Aprender a tomar café

 

Tem vezes em que o seu maior desejo é que o dia tenha mais de 24 horas. Aquela lista de afazeres continua enorme e você ainda não conseguiu cumprir metade. Para solucionar isso, dê adeus as suas preciosas horas de sono. E então, você precisa estar de pé e plena no dia seguinte. O único salvador para essa missão é o café. A partir de agora, ele será o seu melhor amigo (pode apostar).




 

Começar a sentir sono às  21 horas
 

O jovem é ligado nos 220 voltz. Se deixar, ele faz um milhão de coisas em apenas um dia. E ainda consegue sobreviver virando várias noites, já que não consegue ficar parado. No entanto, se o relógio está marcando 21 horas e você já está abrindo boca de sono, temos uma notícia a dar: está se tornando adulta.


 


Bate uma preocupação em comer vegetais e salada nas refeições

 

Aquele desejo de almoçar um bife com muita batata frita continua sempre com você. Entretanto, suas preocupações com a saúde começam a aumentar. Mesmo que seu coração grite pelo fast food, sua cabeça tenta colocá-la na linha e colorir o prato. Ou seja, o objetivo é ter diferentes vegetais e salada em todas as refeições possíveis (os tempos mudaram né?).

 

Você percebe que está usando expressões do tipo: “no meu tempo”

 

A nostalgia não é algo que só sua avó sente de sua época. Agora que você está mais velha, também faz parte desse grupo. Você pode se dar conta disso quando está conversando com alguém mais novo, por exemplo, e logo fala a frase crucial: “no meu tempo”. Quando você percebe, as palavras já saíram da sua boca e todos ao redor sabem que sua idade é bem diferente da deles (tem um cabelo branco aqui?).

 

Quem marca o médico agora é você

 

Antes era a mamãe que via você mal ou sabia o tempo certo de marcar a consulta. E sua saúde sempre esteve em dia, por conta desse cuidado maravilhoso. Mas, quando é você quem precisa começar a fazer as ligações, sua ficha cai: estou virando adulta. Para completar, qualquer incômodo que antes você ignorava, agora parecem ser sintomas gravíssimos (mesmo não passando de uma gripe).




 

Teve que parar para pensar e responder sua idade certa

 

Quando somos novos, falar a idade para qualquer pessoa é um grande orgulho. Porém, isso logo muda. Você pode nem ter percebido, até que alguém vem com a simples pergunta: “quantos anos você tem?”. Se a sua resposta demandou um tempo ou uma contagem nos dedos para ter certeza, podemos garantir que você está tornando-se adulta.

 

Fazer sua própria comida

 

Chegar em casa e ter um almoço pronto é uma alegria que só damos valor mais tarde. Este é o último item da lista por ser o responsável pelas grandes crises de idade. Você pode ser até boa na cozinha, mas não importa. Chegar exausta e ainda ter que montar toda a comida pode tornar-se um momento de grande tristeza. E você começa a entender como o miojo pode ser o seu eterno salvador.




Não precisa entrar em pânico, todo mundo já passou por isso e você também vai sobreviver. Uma vida adulta incrível te espera! <3

Como saber se o lance entre você e o boy esfriou? Saiba o que fazer nesse momento

Você conhece um cara bacana, os dois começam a conversar e marcam de sair. Isso se repete uma, duas, três vezes… Tudo está indo super bem entre os dois, e você já está até começando a pensar em algo mais sério. Só que de repente você começou a notar algumas mudanças na relação de vocês e isso te preocupa. Os encontros já não são mais frequentes e a troca de mensagens calorosas parece ter perdido a graça. Tem algo errado aí! Antes de tomar decisões precipitadas, analise bem a situação para ter certeza de que o lance entre vocês está esfriando. O Só Delas também te dá algumas dicas sobre o que fazer agora.

 

Ele demora muito para responder suas mensagens

 

Quando vocês se conheceram passavam horas e horas trocando mensagens, durante todo o dia. Desde “bom dia”, até a hora da “boa noite”, não faltava assunto entre os dois! Agora ele demora horas para responder um simples “oi”. E o pior, depois de horas ou até mesmo dias, ele responde como se nada tivesse acontecido, sem nem ao menos dar uma justificativa! E não é como se ele tivesse ficado todo esse tempo desconectado, porque ele aparece “online” várias vezes. Com certeza esse não é um bom sinal…


 

Quando aparece, só responde o que você pergunta

 

Além de demorar séculos para te responder, quando ele resolve aparecer, manda uma frase curta e grossa, ou uma simples risada “kkk”. Se você pergunta como foi o dia dele, ele te conta, mas não se interessa em saber como foi o seu. Ou seja, ele só responde o que você pergunta, e se você parar de puxar assunto, a conversa termina. Tudo bem acontecer uma vez ou outra, ele pode estar ocupado, e ninguém é obrigado a ficar online 24 horas por dia! Mas se está se tornando frequente, ainda mais de alguém que nunca agiu assim antes, é no mínimo estranho. Pense bem, se ele ainda estivesse afim, não iria querer parar de falar com você, né?  


 

É sempre você quem faz o convite para sair

 

No começo, os dates aconteciam naturalmente. No meio da conversa vocês acabavam comentando sobre algum lugar que gostariam de ir, e quando se dava conta já estavam combinando. Quando não era assim, ele sempre aparecia dizendo que estava com saudades. Depois de algum tempo, essas mensagens deixaram de existir, e você fica dias esperando que ele te chame para algum programa… É claro que você também pode convidar ele para sair, mas tudo tem que ter um equilíbrio, né? Agora você tem a sensação de que se não fizer o convite os dois não vão se ver tão cedo. Será que vale a pena mesmo tanto esforço?


 

Ele desmarca os encontros em cima da hora

 

Depois do encontro marcado, você está convencida de que ele só deve estar sem tempo ou muito ocupado, por isso não tem te procurado. Já está tudo combinado, você desmarcou com as suas amigas e reservou a sexta à noite só para ele. Escolheu um look de arrasar e mal pode esperar para chegar a hora, até que ele manda uma mensagem dizendo que não vai mais poder ir. Ninguém merece! Realmente pode ter acontecido algum imprevisto, mas o mais provável que tenha surgido uma festa ou programa que ele achou mais interessante. Fuja dessa!



 

O que fazer então?

 

Se você se identificou com essas situações, é certo que o lance esfriou mesmo entre vocês. Primeiramente, tente entender o motivo. Será que você falou ou fez algo que não deveria, e que de repente o chateou? Se ainda assim você não encontrar razões que justifiquem é importante abrir o jogo com o cara. Ele começa a agir estranho, mas também não esclarece as coisas com você ou dá um fim no relacionamento? Além de não estar certo, ele está fazendo ambos perderem tempo. O ideal é conversar, alinhar as expectativas e fazer o que for melhor para os dois. Se ele estiver dividido entre você e outra pessoa, por exemplo, não é certo ficar “cozinhando” ambas até se decidir. Você não precisa suportar esse tipo de coisa e deve fazer o que te faz feliz, tá? Pense com carinho e se coloque em primeiro lugar nesse momento.

A primeira vez que viajei com meu próprio dinheiro

Depender financeiramente de alguém é uma situação bem chata, né? A gente acaba ficando muito limitado nas nossas realizações. Quando entramos no mercado de trabalho e passamos a ganhar nosso próprio dinheiro é uma sensação libertadora e dá aquele gostinho de independência! Daí começa o planejamento de diversos sonhos, como aquela grande viagem para o exterior. A boa notícia é que é possível sim, mas vai exigir economia e foco. Foi esse prazer que teve a estudante Cândida Andrade. Ela conversou com o Só Delas e contou sobre esta experiência incrível, além de dicas super legais para quem deseja fazer o mesmo. Inspire-se nessa história!



Arquivo Pessoal
 

Primeiro passo: colocar a ideia em prática

 

É durante as conversas com a melhor amiga que, normalmente, saem as melhores ideias. Foi assim que aconteceu com Cândida. A jovem e uma de suas bff’s começaram a se organizar para fazer as malas. “Já estávamos planejando isso há um tempo e estávamos guardando dinheiro”, diz ela. Tudo começou com duas meninas e, por fim, já eram sete indo juntas para essa aventura. Cândida conta que tudo foi alinhado conforme os gostos e expectativas de cada uma, formando roteiros diferentes.
 

Para onde quero viajar, afinal?

 

Definir o destino é o primeiro passo. A partir daí, você está apta para fazer todo o planejamento. A ideia de Cândida começou com o desejo de fazer todos os países do Leste Europeu. No entanto, é importante conciliar com o tempo e dinheiro que você tem. A jovem precisou organizar suas férias do estágio e as aulas da faculdade. “Acabamos reduzindo o roteiro original e cada uma ficou o quanto podia em cada país”, explica. No final, ela conseguiu conhecer sete cidades de seis diferentes países: Amsterdam, Berlim, Budapeste, Praga, Viena, Zagreb e Split. As amigas de Cândida montaram um cronograma repleto de ideias para fazerem nos lugares. E isso foi muito importante, pois elas sempre tinham diversas coisas para conhecer.



Arquivo Pessoal


Confira as dicas para quem está planejando fazer a sua viagem

 

Antes de tudo, é importante organizar o seu dinheiro e focar na viagem. “O que ajudou muito foi manter o dinheiro da viagem separado em uma conta que eu não costumo mexer”, indica ela. Isso facilitou (muito) seu controle durante toda a viagem. Cândida dividiu a quantia pelo número de dias, chegando a uma média de gastos diários. “Se eu passasse um pouco num dia, tinha que maneirar no próximo”, comenta. Uma maneira que pode ajudar na hora de economizar é optar por hospedagens alternativas aos hotéis. Cândida e suas amigas, por exemplo, optaram pelos aluguéis do Airbnb, que couberam perfeitamente no planejamento. Outra dica é pesquisar bem os melhores preços que você pode acompanhar nas promoções dos sites e aplicativos de viagens.

 

Para Cândida, foi uma experiência incrível

 

Conseguir juntar o seu próprio dinheiro para viajar é uma grande conquista. Você pode ser a próxima a arrumar as malas, basta começar a organizar. “Procure uma galera que queira se jogar na mesma empreitada com você para dividir custos e economize!”, conta Cândida. Para ela, foi uma experiência incrível, sendo difícil explicar sua felicidade durante todo o tempo das férias. Para completar a empolgação, tudo estava acontecendo graças ao seu dinheiro guardado dos trabalhos. “Eu ter conseguido bancar a viagem sozinha fez tudo ainda melhor”.

 

Animou? Comece a organizar e comece o planejamento. Suas próximas férias podem ser mais incríveis ainda, tudo depende você.

6 GIF’s que traduzem os pensamentos de quem dirige pela primeira vez

A primeira vez que pegamos no volante sozinhas, fora da autoescola, é um momento muito emocionante. Afinal, agora você vai ter bem mais liberdade e independência para se locomover para os lugares que quiser, sem depender de carona! Existem aquelas pessoas que tiram a primeira direção de letra, mas na maioria das vezes, essa costuma ser uma situação bem difícil. Emoções opostas como animação e medo podem passar pela sua cabeça nesse momento... Pensando nisso, o Só Delas listou 6 coisas que todo mundo pensa quando dirige pela primeira vez!

 

1) “Socorro, vou atropelar alguém!”

 

Depois que você finalmente passa na prova prática da autoescola é um alívio e tanto. Agora você já pode dirigir de verdade! Você pega o carro e sai para a rua pela primeira vez, com ou sem alguém acompanhando. Está ocorrendo tudo bem até que aparecem alguns pedestres caminhando em direção à rua… Você não sabe se acelera para passar antes deles, dá uma freada brusca ou buzina. No final, acaba dando tempo de passar tranquilamente, mas você quase morre de nervoso!


 


2) “Estou indo muito rápido”

 

Outro pensamento muito comum quando se está iniciando na arte da direção é acreditar que você está indo rápido demais. Depois de enfrentar um pouco de trânsito, você chega a uma via em linha reta, e tem a oportunidade de acelerar sem nada para te atrapalhar. Você sente um friozinho na barriga e fica com medo de bater em algo acidentalmente, afinal, está indo super rápido! Mas quando para e confere o visor, está apenas a 60km/h.


 


3) “Tomara que eu não passe por uma ladeira”

 

Depois que você já está começando a pegar o jeito, os obstáculos começam a aparecer e dificultar mais ainda esse momento. As ladeiras são um desafio para quem está dirigindo pela primeira vez, ainda mais se você pega um trânsito no meio delas. Você faz de tudo para evitar essa situação, e prefere aumentar o tempo do percurso para não ter que passar por nenhuma!


 


4) “Eu posso virar aqui?”

 

É normal ficar perdida quando antes só estava acostumada a andar de transporte público ou de carona. Mesmo que você conheça o lugar pelo qual está passando, por causa do sentido das ruas e dos obstáculos no percurso, o caminho de carro muitas das vezes é diferente daquele feito a pé, e por isso surge a dificuldade em identificá-lo. O ideal no começo é sempre descobrir qual caminho deve ser feito antes de pegar o carro, ou ter alguém que te auxilie, assim você terá menos chances de ficar perdida! Lembrando que também existem aplicativos para celulares que podem te guiar nesse momento.


 


5) “Como faz para estacionar sem a marcação da baliza?”

 

A baliza é um dos momentos mais difíceis na prova de direção. Na autoescola, a prática é feita com uma marcação, e decoramos exatamente o que devemos fazer nos orientando por ela. Quando você precisa estacionar pela primeira vez, cai a ficha: no dia a dia não existe marcação! Você vai precisar estacionar apenas olhando e calculando por você mesma. Mas não precisa se desesperar! Com o tempo vem também a prática, e você vai conseguir parar em vagas cada vez mais apertadas.


 


6) “Agora só vou andar de carro”

 

Depois que passa todo o desespero, nervoso e medo, você percebe o quanto gosta de dirigir! Coloca uma música bem alta e tem vontade de sair andando por aí… Poder se locomover sem depender de carona ou de pegar um transporte lotado é muito bom. Agora você não quer mais saber de outra coisa, vai querer andar de carro sempre que puder!


5 motivos para começar a fazer trabalho voluntário

Já passou pela sua cabeça fazer trabalho voluntário algum dia na vida? Então não deixe esse desejo de lado e descubra como colocar em prática. Dedicar um pouco do seu tempo a fazer o bem ao próximo, ao planeta, aos animais, entre outras atividades, traz uma compensação extraordinária e você é quem acaba ganhando mais com tudo isso. Pode ser um grande aprendizado e uma experiência transformadora para o seu autoconhecimento. Destacamos 5 motivos para te motivar a encarar esse desafio!

 

Aprender o significado de cidadania
 

Todo mundo possui seus direitos e deveres, como já sabem. Isto que é o conceito de cidadania. Ser cidadão é também ter um papel ativo com o objetivo de transformar. No entanto, já parou para pensar se você o coloca em prática? O trabalho voluntário é uma ótima opção! Além disso, ser voluntário contribui para a formação de sua visão de mundo, fazendo perceber, principalmente, quantas questões ainda precisam ser solucionadas.

 

É uma experiência que muda sua vida

 

O trabalho voluntário proporciona um tipo de experiência única. Logo no início, você perceberá como as atividades resultam em um crescimento pessoal e expande seus horizontes. Práticas desse tipo fazem com que a pessoa abra os olhos para o seu potencial e note o impacto que consegue causar dentro da sociedade, como sua ação pode fazer uma diferença enorme. E a melhor parte: você vai compreender realmente o que é generosidade.

 

Prepare-se para ampliar as suas habilidades

 

“Eu não sei fazer isso”. Essa frase não se encaixa em um trabalho voluntário. Reserve a energia e a vontade de colocar a mão na massa. Pode ser para construir uma casa ou levar um sorriso para crianças em hospitais, ser voluntário é uma maneira prática de conhecer novas habilidades em si mesma. Você pode ser desafiada a realizar algo que nunca imaginou ser capaz antes, e quando perceber, já estará fazendo.

 

Fazer o bem é a melhor coisa que tem

 

Fazer trabalho voluntário é provocar um impacto gigante na vida de diversas pessoas. É uma grande chance de deixar sua marca e fazer do mundo um lugar melhor. Existem diferentes tipos de voluntariado, escolha um em que você acredite na causa e queira fazer parte para mudar. Isso trará a grande chance de conhecer novas pessoas e instituições com diversos trabalhos.

 

É uma explosão de felicidade

 

Não é algo só da boca para fora. Um estudo do americano Allan Luks, especialista em voluntariado, mostra que ajudar os outros pode funcionar como antidepressivo e controle de dores. Além disso, os dados coletados apontaram que o trabalho voluntário consegue reduzir o estresse. Que tal começar a ser voluntário? Você pode aumentar sua felicidade, despertar um sorriso em alguém e transformar sua vida. 

6 perguntas que todos os casais deveriam fazer um para o outro

Sabemos que a comunicação é uma parte muito importante em todo relacionamento. Quando se trata dos amorosos, aí é embora há pessoas que fujam de certos assuntos. Alguns temas podem parecer difíceis de serem abordados com o parceiro, mas são essenciais para que os dois se conheçam, tenham confiança entre si, e dessa forma possam construir um relacionamento longo e feliz. Para te ajudar, o Só Delas preparou uma lista com 6 perguntas que todos os casais devem fazer um para o outro. Dá uma olhada!


1) Nossos objetivos são parecidos?

 

Por mais que o casal possa ser totalmente diferente um do outro, é necessário que ambos tenham planos parecidos. Isso vale em relação à carreira, vida pessoal, família e até sobre o próprio relacionamento. Vocês não precisam falar sobre isso logo no começo, mas depois que já estão há algum tempo juntos é importante conversar sobre o que ambos querem dessa relação. Até mesmo para evitar que alguma das partes saia chateada, como em casos que um deseja ter filhos e o outro não, por exemplo. Conversar sobre os planos de vida é essencial se pretendem segui-los juntos.

 

2) Você já teve uma DST?

 

Esse pode ser um tema bem delicado, mesmo que o casal já se conheça há algum tempo. Falar sobre DSTs ainda é um tabu nos dias de hoje, mas nem por isso esse assunto deve ser deixado de lado. Fazer essa pergunta ao seu parceiro não quer dizer que você não confie nele, pelo contrário. É necessário para que você saiba se está protegida, ou se precisa tomar alguma medida especial de prevenção. Os dois podem até mesmo visitar um médico juntos para serem orientados e, se necessário, fazer alguns exames.

 

3) Como você se sente sobre as suas finanças?

 

Outro tema delicado é esse: dinheiro. Mais uma vez, é importante para a relação que exista transparência sobre todos os assuntos. Não quer dizer que um precise saber o quanto o outro ganha ou as dívidas que tem, apenas que deixem claro um para o outro o que as finanças significam na vida de vocês e como vocês lidam com ela. Isso também pode evitar situações constrangedoras para alguma das partes, em que um não esteja podendo gastar tanto no momento, mas tenha vergonha de falar para o outro.

 

4) Do que você tem medo no nosso relacionamento?

 

Ouvir os lados negativos da relação com certeza não é fácil, nem agradável. Mas esse é um assunto que precisa ser conversado entre os dois, para que possam buscar formas de melhorar e crescer juntos. O medo atrapalha a confiança do casal, e muitas vezes pode ser por questões bobas que uma simples conversa com o outro resolva.

 

5) Tem alguma ex que ainda faz parte da sua vida?

 

Ficar stalkeando um ao outro e dar olhadas discretas no celular para ver se acha algo diferente não é nada bom para o relacionamento. O melhor é ser sincero, e fazer a pergunta diretamente para o seu parceiro. Saber pela própria pessoa sobre a existência de relacionamentos anteriores é muito importante para estabelecer confiança entre os dois.

 

6) O que pode melhorar no nosso relacionamento?

 

Nada é perfeito. Por mais que ambos estejam apaixonados, os dois são pessoas normais, que cometem erros e têm expectativas, que algumas vezes são diferentes. Saber o que o outro sente e se existe algo que o incomoda no relacionamento é o primeiro passo para mudar essas questões.

Pages

Latest News

  • Esportes que são a cara do verão! Prepare-se para novas experiências nessa temporada
    Dias ensolarados, altas temperaturas e horário de verão. Para completar, ainda temos os...
  • A água salgada "corta" a menstruação quando entramos no mar?
    A relação entre menstruação e praia gera dúvidas em muitas mulheres. É claro que não há...
  • Estou com um corrimento marrom: o que pode ser e como devo tratar?
    Secreção vaginal ou corrimento? Eis a questão que deixa muitas meninas com dúvidas. Para...
  • Posso engravidar se eu tomar o anticoncepcional atrasado?
    Eita! Passou a hora de tomar a pílula anticoncepcional e você nem percebeu. “Se eu tiver...
  • Transpiração na região íntima: como conter o desconforto?
    Sim. Transpiração na vagina é algo completamente natural e todas têm! O suor na região...
  • Desvendamos 5 mitos sobre menstruação no verão!
    Quer aproveitar o verão ao máximo, mas está preocupada com os dias de menstruação? Pode...
  • Posso entrar na água de absorvente interno? Consultamos uma ginecologista para saber!
    Você não precisa deixar de aproveitar seu dia de sol porque está menstruada. A solução da...
  • Com que frequência você troca o sutiã? Veja cuidados importantes durante o verão para...
    Para muitas meninas, o sutiã é uma peça de uso diário. Por mais discreto que seja, ele é...
  • SEMPRE LIVRE® Adapt Plus se adapta ao seu corpo e te deixa mais segura e confortável na...
    Já se foi o tempo em que a menstruação era vista como algo negativo na vida das mulheres...
  • 5 frases de mulheres extraordinárias para inspirar um pouco o seu dia
    Empoderamento feminino, autoestima, sororidade... Esses são alguns dos termos mais...
  • Pílula combinada: saiba mais sobre seus benefícios e quem deve usá-la
    Blim, blim! É 9 horas da noite e toca o alarme: “Hora de tomar a pílula”, pensa a menina...