Skip to main content

Header Social Network

SIGA NOSSAS REDES!
Home

Header Right Logoes

INSPIRADO POR:

PRIMEIRA VEZ

PRIMEIRA VEZ

image_icon_white: 
image_icon_pink: 
image_icon_green: 
image_icon_blue: 

Desenvolvimento de mamas: até qual idade isso acontece?

A puberdade é um período marcado pelas mudanças no corpo dos jovens, tanto psicológicas como físicas. Para as meninas, é comum que o desenvolvimento das mamas seja um momento de muita espera, principalmente por ser considerado uma característica marcante. Como cada corpo é diferente do outro, algumas apresentam seios maiores que outras. Por isso, faz surgir uma dúvida comum: até quando acontece o desenvolvimento das mamas? Conversamos com a ginecologista Dra. Carolina Ambrogini para saber a idade certa.

 

Até que idade acontece o desenvolvimento das mamas?

 

O aparecimento das mamas pode ser um momento de ansiedade para muitas meninas. Segundo a médica, o desenvolvimento delas vai depender de cada caso. O broto mamário, por exemplo, pode aparecer aos 9 anos, e vai em diante. E o mesmo acontece com a idade limite para o desenvolvimento da mamas. “Também depende muito, mas em geral até os 14 ou 16 para as que demoraram mais para entrar na puberdade”, esclarece ela.

 

É possível que as mamas cresçam depois desse momento?

 

A profissional explica que esse crescimento de mamas posteriormente vai estar relacionado com o tecido gorduroso. Por isso, também é algo que varia para cada uma. “Se a menina engordar ou emagrecer pode afetar o volume das mamas, os mamilos geralmente não mudam mais”, destaca. Por outro lado, uma dúvida recorrente é se o uso da pílula anticoncepcional pode ser um influenciador no aumento dos seios. Nesses casos, Dra. Carolina afirma que podem acontecer mudanças porque as mamas reagem à quantidade de hormônios, tendo a possibilidade de ficarem mais inchadas e doloridas.

 

Este artigo tem a contribuição do especialista:

Dra. Carolina Ambrogini - Ginecologista
CRM: 102706-SP

Brigas que todo casal tem pelo menos uma vez

Todo casal briga e isso é um fato. Apesar de toda a parte boa, ter discussões e desentendimentos uma vez ou outra durante o relacionamento é normal. Afinal, são duas pessoas diferentes, que muitas vezes irão discordar entre si. Cada casal tem suas questões particulares, mas existem alguns tipos de brigas que são “clássicas” e acontecem com todo mundo, pelo menos uma vez. Leia alguns exemplos que listamos e veja se você se identifica!

 

Quando uma das partes só fica no celular

 

Hoje em dia o celular costuma ocupar grande parte do nosso tempo. Estamos sempre de olho nas redes sociais e mensagens que recebemos praticamente 24 horas por dia. Quando se está em casal, não desapegar do celular pode se tornar um problema! Vocês estão juntos, um dos dois quer atenção e o outro fica toda hora de olho nos grupos de Whatsapp. Ninguém merece, né? É normal que isso aconteça alguma vez e acabe gerando uma briguinha que vai passar. Só não vale insistir nesse comportamento e ficarem brigando o tempo todo!


 

Falta de atenção e cuidado 

 

Todo mundo busca e deseja ter a atenção do seu companheiro no relacionamento. Em alguns momentos, no entanto, um dos dois pode estar muito focado no trabalho ou com muitas atividades na rotina e acaba ficando sem tempo para dar atenção ao outro. É um tipo de briga clássica. Nesse caso, não deixem de conversar e mostrar a insatisfação - mas não precisam chegar a brigar por isso! Porém, apesar da rotina agitada, é importante buscar um momento para se dedicar um ao outro, ter aquele tempinho só de vocês.

 
 

Na hora de decidir o que assistir

 

Vocês resolvem assistir um filminho ou começar uma série nova na Netflix. Fazem a pipoca, já estão preparados para começar, mas chega aquele momento tão difícil: escolher o que assistir. Mesmo que os dois tenham gostos parecidos, sempre vai ter algum dia em que um vai estar afim de uma comédia e o outro quer assistir ação, ou um quer um romance leve enquanto o outro está no mood de suspense mais pesado. É preciso que ambas as partes saibam ceder um pouco nesses momentos! O mesmo vale para escolher o que assistir na televisão, qual música ouvir na rádio, o destino da próxima viagem, etc.

 
 

Família do boy

 

Quando entramos num relacionamento, estamos nos comprometendo com aquela pessoa por quem nos apaixonamos. No entanto, junto com ela vêm também todos aqueles que fazem parte da sua vida, os amigos, mas, principalmente, a família. E é normal rolarem diferenças de pensamento, mas é preciso saber lidar com elas. Em alguns casos, no entanto, existem aqueles familiares e principalmente sogros e sogras que gostam mais de se intrometer no relacionamento, e isso pode gerar muitas brigas. Nesses momentos, cabe uma conversa entre casal e cada um conversar com seus pais e mediar a situação!

 

 

Histórico da Internet ou stalkear as redes sociais

 

Falando mais uma vez de Internet e redes sociais, existe outro motivo pelos quais elas podem provocar desentendimentos entre o casal. Quando uma das partes resolve “stalkear” o outro e descobre coisas que preferia não ter visto. Apagar ou não fotos e mensagens antigas é uma opção de cada um. Mas tentem não brigar por fatos que já fazem parte do passado!  

 

Não é o fim do mundo! Veja o que fazer após sua primeira demissão no estágio ou emprego

A primeira demissão é um episódio complicado para qualquer pessoa. Muitas coisas vão passar pela sua cabeça nesse momento… Você pode começar a questionar seu trabalho e se preocupar com o futuro. Mas saiba que isso não é o fim do mundo! Mantenha a calma e aproveite para ver esse momento como uma oportunidade para desenvolver seus talentos e buscar novos caminhos profissionais. Veja algumas dicas do que fazer após a primeira demissão, e saia dessa da melhor forma possível!


 

Procure saber o motivo da demissão

 

Pode ser que a empresa dê um motivo genérico para a sua demissão, como por exemplo a necessidade de um corte de custos. Essa pode ser mesmo a real razão pela qual você foi mandada embora, mas é importante fazer essa pergunta. Ao tentar entender por que isso aconteceu, você mostra interesse em aprender e melhorar! Esse feedback também vai te ajudar a  saber o que precisa mudar e ter a chance de aprimorar isso para as próximas oportunidades.

 

Busque cursos para aumentar seus conhecimentos

 

Não deixe a demissão te deixar para baixo e sem vontade de continuar se desenvolvendo profissionalmente. Aproveite o tempo livre e busque novos cursos e outras atividades que possam agregar conhecimentos e te deixar mais qualificada para procurar um novo emprego. Existem opções online e presenciais, e assistir palestras ou aprender uma nova língua também podem ser boas opções. Vale a pena pedir dicas para colegas da sua área!

 

Conheça os seus direitos

 

É importante conhecer seus direitos nesse momento, e fazer com que sejam respeitados! Eles vão depender se você é contratado ou estagiário. Você pode fazer uma pesquisa ou conversar com alguém que entenda do assunto para poder tirar todas as dúvidas.

 

Faça planos

 

Esse momento não deve ser de desespero! Veja as economias que você tem guardadas e faça um planejamento de como você pode se virar com elas. Além disso, comece a pensar no futuro e procure traçar planos com objetivos reais que podem ser alcançados.

 

Comece a buscar novas oportunidades

 

Agora é a hora de caprichar num currículo novo! Existem alguns sites com modelos semiprontos que podem ser úteis. Mas é fundamental adequar o estilo do currículo à sua profissão. Se você procura por uma empresa mais séria, por exemplo, não exagere nas cores e use um modelo mais sóbrio. Também vale atualizar seus perfis nos sites de vagas de emprego e nas redes sociais. Além disso, não fique tímida em contar para as pessoas que está a procura de um novo trabalho! Peça indicações e apresente seu currículo para quem achar que pode ajudar a encontrar uma nova vaga. Networking é muito importante!

 

Não feche essa porta

 

Ser mandada embora do seu emprego, principalmente pela primeira vez, é um momento difícil. No entanto, não deixe a tristeza tomar conta e fazer com que você acabe reagindo mal. Procure agir com maturidade e continuar mantendo uma boa relação com as pessoas dessa empresa. Nunca se sabe quando uma próxima oportunidade pode surgir!

Exames ginecológicos: existe preparação prévia? O que esperar desse momento?

Ir ao médico é uma tarefa que faz parte da rotina de todas as pessoas. De tempos em tempos, é preciso fazer uma visitas para certos especialistas, como é o caso dos ginecologista. Dessa maneira, a mulher consegue manter a saúde íntima em dia e iniciar tratamentos precocemente, quando necessários. Para ajudar nessa tarefas, os exames ginecológicos são essenciais. Saiba quais são as preparações e entenda como esses procedimentos são realizados.


 

Conheça o exame preventivo

 

Assim como esclarece o Dr. Marco Aurélio, o exame preventivo é também conhecido como o Papanicolau. “Ele consiste na coleta da secreção do colo do útero, utilizando espátula e escovinha”, define ele. Ao ser analisado o material no microscópio, o teste visa detectar possíveis alterações que poderiam se transformar em câncer. A realização do exame vai depender da idade da paciente e os resultados anteriores, o indicado é ser feito anualmente.

 

“O exame em si é muito rápido. Não costuma ultrapassar 5 a 10 minutos”, destaca o médico. Por isso, pode ficar tranquila. Além disso, a orientação prévia é que não tenha relação sexual dois dias antes do exame, segundo o Ministério da Saúde. E ainda, o ginecologista explica que não deve ser feita duchas, usar medicamentos vaginais ou estar menstruada para realizar o exame preventivo.

 

Saiba como é a ultrassonografia transvaginal

 

Esse exame é um dos mais conhecidos pelas mulheres, especialmente por fazer parte dos procedimentos de rotina requisitados pelo ginecologista para verificar a saúde íntima. Vale destacar que as pacientes que já deram início à vida sexual ativa são indicadas a realizá-lo. “É um exame de imagem de ultrassonografia que serve para visualizar a anatomia e aspecto de órgãos pélvicos femininos (útero e ovários)”, explica a Dra. Renata.

 

O procedimento não requer uma preparação prévia e no dia do exame você vai receber as orientações. “A ultrassonografia transvaginal é realizada através da introdução de uma sonda no interior da vagina da paciente”, destaca a profissional. Lembre-se que, no caso de qualquer incômodo durante o exame, avise ao profissional que está realizando o procedimento.

 

Dr. Marco Aurélio Pinho de Oliveira

Ginecologista

CRM 52.52422-7

 

Dra. Renata Tomaz, Ginecologista e Obstetra da Perinatal.

CRM: 5279788-0

Morando sozinha? 5 canais que vão te ajudar a colocar a mão na massa e aprender a cozinhar

Morar sozinha é um passo importante, mas que vem junto de muitos desafios. Nessa nova fase você se torna mais independente e passa a aproveitar e valorizar mais sua própria companhia, Por outro lado, também precisa aprender algumas coisas novas. Cuidar do seu próprio espaço, deixá-lo organizado e não ter outra pessoa com quem dividir as responsabilidades da casa pode parecer complicado num primeiro momento, mas acredite, você se acostuma! Além de tudo isso, uma questão que preocupa muita gente quando vai morar sozinha pela primeira vez é não saber cozinhar. Você se encaixa nesse grupo? Então dá uma olhada nesses canais que separamos para você pôr a mão na massa e não ficar pedindo pizza todo dia.

 

1) Receitas de minuto

 

Com o objetivo de te fazer sair do sofá e ir para a cozinha, esse canal traz receitas fáceis e econômicas, ideais para quem está enfrentando o desafio de morar sozinha pela primeira vez. Nele, Gisele Souza ensina truques culinários para te ajudar a ser uma cozinheira melhor, com receitas rápidas e simples, como indica o nome do canal. O melhor é que além de tudo ela ainda faz vídeos ensinando a fazer marmita sem gastar muito!

 



 

2) Danielle Noce

 

Esse canal é perfeito para quem é viciada em um docinho! Afinal, não é só com as refeições que precisamos nos preocupar. Para quem gosta de doces e não pode viver sem eles, Dani Noce ensina receitas de todos os tipos, com muito chocolate, bolos, e diversas sobremesas para você arrasar na cozinha. Além disso, seu marido Paulo Cuenca não é muito chegado à cozinha e por isso eles criaram uma seção chamada “O bigode sozinho na cozinha”, na qual ele tenta fazer receitas bem simples. Se identificou? Dá uma olhada no vídeo!

 



 

3) TPM Pra que te quero?

 

Esse canal junta as receitas com outro assunto que nos interessa: TPM. Ninguém merece passar por esse momento, e quando moramos sozinhas ela pode se tornar ainda mais difícil. Pensando nisso, Ju Ferraz criou esse espaço trazendo receitas com a proposta de ajudar as mulheres quando estão passando por desconforto no período pré-menstrual. Afinal, comer uma coisa gostosa sempre pode melhorar a situação e o nosso humor! Nele, ela traz receitas que qualquer um pode fazer.

 



 

4) Marcella Tranchesi

 

Marcella fala de outros assuntos no canal, como beleza e viagens, mas vale a pena dar uma olhada na sessão chamada “Marcella Mestrecuca”. Ela traz receitas fáceis e deliciosas de doces, salgados e até mesmo bebidas como chás e drinks. Para quem procura receitas mais saudáveis, o legal é que Marcella ensina também a cozinhar alguns pratos com essa pegada, e até mesmo alguns vegetarianos e veganos.

 



 

5) Presunto Vegetariano

 

Para quem é vegetariana ou vegana, ou apenas gosta de experimentar alguns pratos do tipo, o Presunto Vegetariano é o canal ideal para aprender a cozinhar! Nele são apresentadas receitas rápidas e simples, de salgados e doces, buscando mostrar que a culinária vegetariana pode ser sim prática e variada. Tem muita comida saudável e nutritiva, mas tem também junk food!

 

Primeira vez comprando absorvente? Tudo que você precisa saber sobre o item

Não tem uma data certa ou um aviso prévio, a primeira menstruação aparece de surpresa para a maioria das meninas. Nesse momento, a maioria precisou pegar às pressas um absorvente emprestado com a mãe ou uma amiga. Mas, a partir daí, todo mês você vai precisar de novos absorvente e o ideal é encontrar aquele que se encaixa perfeitamente com você. Chegou a hora de encontrar o melhor modelo de absorvente para o seu caso. Para dar uma ajudinha nas suas próximas compras, o Só Delas separou algumas características importantes do item para você ficar ligada.


 

Interno ou externo?

 

Mesmo sendo sua primeira menstruação, absorvente não uma novidade para você. Toda menina começa a ouvir sobre eles muito cedo. A primeira coisa e se levar em conta é que existem modelos de absorvente externo ou interno. Geralmente, para a fase inicial as meninas optam pelo externo. É só retirar os plásticos e colar o item bem centralizado na sua calcinha. Na hora de tirar, descole o item da peça íntima, enrole, jogue no lixo e pegue um novo absorvente para repor. Mas nada impede que a menina escolha um modelo interno, que é menor e deve ser introduzido dentro do canal vaginal. Sem nervosismo, você pode conferir todas as instruções na embalagem. Para retirar, basta puxar a cordinha que fica para fora.

 

Com abas ou sem?

 

As abas laterais servem para posicionar o absorvente na calcinha e mantê-lo mais fixado. Enquanto isso, os absorventes sem abas acabam sendo mais finos nas laterais, por não não terem essa característica. Aqui nesse caso, ambos cumprem bem sua função e a escolha é totalmente sua. Encontre o que te deixa mais confortável!

 

Cobertura seca ou suave?

 

A cobertura, ou textura, é outra característica importante dos absorventes. Grande parte deles é feito algodão, e a diferença de cobertura está no material que o cobre. A cobertura seca é conhecida por ser mais porosa, pois possuem furos maiores para absorver o fluxo menstrual com mais eficácia. Assim, não há contato do fluido com sua pele, diminuindo a possibilidade de odor. Já a cobertura suave é indicado para meninas com um fluxo com menor intensidade, além de proporcionar mais conforto no contato com a pele, evitando alergias e irritações.

 

O absorvente certo para todas as horas

 

Meninas com fluxo intenso sempre buscam mais conforto e segurança para evitar vazamentos, em especial nas suas noites de sono. Para elas também existe um modelo especial, que são maiores e se adaptam às curvas do corpo sem sair do lugar de manhã. Ele pode ser usado a qualquer hora do dia, te mantendo mais sequinha mesmo nos dias mais intensos.

A primeira briga séria no namoro. Como lidar com esse momento sem perder a cabeça?

O ínicio do namoro costuma ser uma das suas melhores fases… Os dois estão totalmente apaixonados e encantados um com o outro, vivendo experiências juntos que são novas e emocionantes. Defeitos costumam passar despercebidos, e tudo o que importa é estar com a pessoa amada. Até que acontece o momento tão temido… A primeira briga séria! Vocês já tinham tido pequenas discussões, mas essa é a primeira vez em que a relação fica estremecida. Não se preocupe, nós temos algumas dicas para você lidar com esse momento sem perder a cabeça!


 

O mundo não vai acabar!

 

A primeira coisa que você deve pensar é: o mundo não vai acabar por causa disso! A primeira briga séria do namoro é um momento difícil, mas normal, e muitas pessoas já passaram por ela. Se quiser, converse com amigas que namoram há mais tempo e peça conselhos. O mais importante é lidar com essa situação com calma e sem se desesperar. Respira fundo e não pira! Dessa forma, você vai poder tomar as melhores decisões e passar por esse episódio da melhor forma possível.

 

A conversa é a melhor solução

 

Quando acontece uma briga entre o casal, o melhor pode ser esperar o clima acalmar um pouco. Respeitem o espaço um do outro, e quando a tensão maior já tiver passado combinem de conversar. Nesse encontro, tente ouvir o outro lado com a mente aberta e sem orgulho, mas também deixe bem claro os seus sentimentos. Assim vai ser mais fácil resolver esse problema!

 

Respeite a si mesma!

 

Brigas são muito comuns em relacionamentos. Afinal, são pessoas diferentes que estão lidando com os seus próprios sentimentos e os do outro. Elas podem ser motivadas por diversas razões, muitas vezes por coisas bobas, ou que podem ser resolvidas com uma boa conversa. O que não pode rolar é acontecer uma briga por um motivo sério e você passar por cima dele só porque gosta muito da outra pessoa! Respeite acima de tudo a si mesma, e faça o que for melhor para você.  

 

Veja a situação por um lado positivo

 

Apesar de brigar demais não ser bom para nenhum relacionamento, ainda é possível tirar algo positivo de uma primeira discussão. Você pode, por exemplo, aproveitar a situação para saber mais sobre o seu parceiro. Mais do que isso, você ainda pode desenvolver o seu autoconhecimento. Conhecendo melhor a pessoa com quem você se relaciona e a si própria, no futuro vocês saberão lidar com imprevistos e diferenças sem brigar! Além disso, podem aprender a lidar melhor um com o outro e perceber o que cada um espera dessa relação.

Ardência após a relação sexual: o que pode ser?

Começar a vida sexualé um momento marcante na vida da garota. A primeira vez pode não acontecer como nos filmes de romance, mas o importante é que você esteja segura. Para completar, ter as visitas regulares ao ginecologista são essenciais. Assim, é possível tirar todas as dúvidas sobre esse momento (nada de vergonha de perguntar!) e entender o que está acontecendo. Entretanto, perceber uma ardência após a relação sexual pode acabar preocupando sua cabeça. Para entender melhor esse sintoma, a ginecologista Camila Ramos tirou essa dúvida e trouxe explicações sobre o assunto.


 

A ardência após a relação sexual é normal

 

Assim como explica a médica, é comum que a mulher sinta uma ardência na vagina após a relação sexual. Isto acontece, principalmente, como resultado de alguma fissura na região, que pode ocorrer durante o momento íntimo do casal. “Porém, não costuma durar mais de 1 dia”, esclarece ela. No caso de você continuar sentindo a ardência, mesmo após esse período indicado, é importante marcar uma consulta. “Se o sintoma for recorrente, precisa ser examinado para avaliação ginecológica”, completa Dra. Camila.

 

A ardência pode ser sinal de infecção?

 

Quando a mulher apresenta sintomas relacionados à sua região íntima, o primeiro pensamento que vem à cabeça é algum problema na área. No caso da ardência após a relação sexual, como destacado acima, observe se o sintoma persistirá ou não. “Se houver ardência intensa e secreção com cheiro diferente, deve ser avaliada pelo ginecologista, para analisar possível infecção vaginal”, explica a profissional.

 

Outro quadro possível e comum entre o público feminino é perceber uma ardência ao urinar. Nessas situações, a ginecologista alerta que pode ser uma infecção urinária pós-coito. Assim como nos outros casos, se o sintoma persistir é de suma importância procurar o médico. Marque uma consulta para fazer uma avaliação de sua saúde e exame ginecológico.

 

Dra. Camila Ramos, ginecologista e obstetra da Policlínica Granato

CRM: 5295691-0

Iniciando a vida sexual agora? 5 coisas que você precisa saber

Ter responsabilidade e controle do próprio corpo é importante e ajuda a se prevenir de muitos problemas. Quando a menina inicia a vida sexual, esses cuidados são ainda mais necessários. Conhecer bem o próprio ciclo menstrual, prestar mais atenção no sinais que seu corpo dá, entender como se prevenir de uma gravidez indesejada e tirar dúvidas com um profissional de saúde para que você tenha uma vida saudável são alguns dos itens desse lista. Separamos 5 dicas que você precisa saber a partir de agora!


Algumas doenças podem ser transmitidas através do sexo

 

As DSTs, como são chamadas as doenças sexualmente transmissíveis, são complicações causadas por vírus, bactérias e outros microorganismos que são transmitidos durante a relação sexual sem proteção. Essas doenças possuem diferentes graus de gravidade e geralmente são manifestadas através de bolhas, verrugas, feridas, corrimentos e odor vaginal muito forte. As mais conhecidas são: AIDS, HPV, herpes, tricomoníase, clamídia e gonorréia, mas também existem outros tipos.

 

Caso o parceiro esteja infectada e vocês não estiverem usando camisa, você também pode ser infectada. Por isso, o uso do preservativo é indispensável em qualquer relação sexual, tá?

 

Existem diversos tipos de métodos contraceptivos

 

Se você já foi ao ginecologista provavelmente ele já deve ter falado sobre a importância do método contraceptivo para prevenir a gravidez indesejada. Existem métodos de barreira como a camisinha e o DIU, pílula anticoncepcional, injeção anticoncepcional, entre outros. Converse com seu ginecologista e, juntos, vocês devem escolher o método mais indicado para o seu organismo e estilo de vida.

 

O clitóris é responsável por potencializar o orgasmo feminino

 

O tão falado clitóris é um órgão bem pequenininho localizado na abertura superior da vagina e tem como única função dar prazer sexual à mulher. Ao ser estimulado, ele ajuda a estimular o orgasmo e fazer com que você chegue lá mais rápido. Então, agora é só localizá-lo e conversar com seu parceiro como ele pode te surpreender ainda mais.

 

A higiene íntima após a relação sexual é fundamental

 

Depois da relação sexual, o primordial é ir ao banheiro urinar, explica a ginecologista Carolina Ambrogini: “É necessário para  que possíveis bactérias que tenham entrado na bexiga durante a relação sexual sejam eliminadas, evitando um possível infecção urinária”. Se for possível, a médica também recomenda fazer uma higienização da área íntima após a relação: “Deve-se lavar externamente com água, mas sem realizar a ducha vaginal, pois esta pode impulsionar bactérias sexualmente transmissíveis para dentro do útero”, alerta.

 

Suas visitas ao ginecologistas precisam ser regulares

 

Agora que você iniciou a vida sexual, ir ao ginecologista com regularidade torna-se mais importante. O exame preventivo feito pelo médico, por exemplo, é fundamental para prevenir o câncer do colo do útero e identificar possíveis DSTs.
 

Dra. Carolina Ambrogini - Ginecologista
CRM: 102706-SP

Dúvidas sobre a primeira vez? Conversar com sua mãe pode ajudar nesse momento

A primeira transa é uma ocasião que naturalmente deixa muitas meninas com dúvidas e inseguranças, apesar de depois de algumas experiências descobrir que não era necessário ficar tão nervosa. Por isso, antes de ter a primeira relação sexual é importante conhecer seu corpo, ir ao ginecologista e conversar sobre o assunto com alguém mais experiente, que possa te dar bons conselhos. Neste caso, se você tem uma boa relação com a sua mãe, ela é a pessoa mais confiável para te ajudar. Preparamos algumas dicas de como introduzir esse assunto em casa.

Como falar de sexo com minha mãe?

 

Existem mães de vários perfis. Tem mãe que é mais liberal e fala sobre sexo sem problemas, mas também tem as que não se sentem confortáveis e fogem do assunto. Quando sua mãe é mais o segundo perfil, talvez seja melhor você não esperar ela procurar você para conversar sobre sexo. É melhor você puxar o assunto, explicar que tem algumas dúvidas e que gostaria de conversar com ela sobre isso.. E aí vamos ver como ela vai reagir.

 

Fortalecer a relação entre vocês é o primeiro passo

 

Qual é o espaço da sua mãe na sua vida? Vocês costumam fazer coisas juntas? Conversam sobre vários assuntos? Se você quer ter uma relação melhor com ela, aproxime-se mais. Procure conhecê-la melhor, olhe para ela com mais carinho, pergunte como ela se sente, peça para ela contar experiências dela com a sua avó... Abrir uma conversa vai despertar uma nova relação entre vocês ou fortalecer a amizade que já existe. Depois disso, todo assunto fica mais fácil.

 

É claro, nada acontece de um dia para o outro. Se vocês nunca tiveram um diálogo aberto, não vai passar a existir imediatamente. A relação tem que ser construída diariamente entre você e ela. ;)

 

A conversa rolou, agora vamos ao ginecologista

 

Se a conversa começou a fluir e ela entendeu o que você precisa, agora é um bom momento para pedir para ela te levar ao ginecologista. Tirar dúvidas com a sua mãe pode ser o suficiente, mas conversar com um(a) médico(a) é importante para conhecer métodos contraceptivos, aprender a usar o preservativo para evitar uma gravidez indesejada, além de se proteger de doenças sexualmente transmissíveis.

Pages

Latest News

  • Colocando DIU pela primeira vez? Tudo o que você precisa saber sobre esse dispositivo
    Está pensando em escolher o DIU como método contraceptivo? Antes da decisão é importante...
  • Menstruação de um jeito descomplicado: tudo o que você precisa saber sobre o sangramento
    O assunto menstruação é algo presente na vida de toda menina. Após a menarca, você...
  • Protetor diário e absorvente são a mesma coisa? Entenda as diferenças e saiba quando usar...
    O protetor diário e o absorvente externo são dois produtos que acompanham as mulheres...
  • Como é seu humor na TPM?
    Quando a TPM chega, como você geralmente fica?
  • Período fértil e ovulação são a mesma coisa? Entenda cada fase do seu ciclo menstrual
    Quando o assunto é ciclo menstrual, muitas garotas percebem que ainda possuem muitas...
  • Desenvolvimento de mamas: até qual idade isso acontece?
    A puberdade é um período marcado pelas mudanças no corpo dos jovens, tanto psicológicas...
  • Vomitar após tomar pílula anticoncepcional pode anular seu efeito?
    Há dias em que a gente não está se sentindo muito bem e o estômago fica embrulhado,...
  • Um guia completo sobre pílula anticoncepcional. Tire todas as suas dúvidas
    Não é uma novidade que a pílula anticoncepcional é um dos métodos mais populares. Desde...
  • O DIU precisa de uma manutenção após inserido no útero?
    Você já sabe que a camisinha é indispensável para as relações sexuais, especialmente por...
  • Cortes de cabelo com franja curta: todo mundo pode apostar nessa tendência!
    Entra ano e sai ano e as franjas continuam em alta. E o motivo é bem simples: elas deixam...
  • É possível menstruar sem ter ovulação?
    A menstruação é o marco do fim da puberdade para as garotas. E então, diversos novos...