Skip to main content

Header Social Network

SIGA NOSSAS REDES!
Home

Header Right Logoes

INSPIRADO POR:

Pílula anticoncepcional e cigarro: saiba os riscos dessa combinação perigosa para a sua saúde

Pílula anticoncepcional e cigarro: saiba os riscos dessa combinação perigosa para a sua saúde

A combinação da pílula anticoncepcional com cigarro é uma das principais informações alertadas pelos ginecologistas quando a mulher começa a utilizar o método contraceptivo hormonal. Acredita-se que a associação deles aumenta o risco da mulher desenvolver problemas vasculares e trombose. Além disso, há suspeitas de que o cigarro também pode influenciar na lubrificação vaginal, o que somado à pílula, pode ser agravado. O Só Delas consultou a ginecologista Paula Bortolai Martins Araújo para saber quais são os riscos para mulheres tabagistas que utilizam a pílula combinada como método contraceptivo.

 

Fumar e usar anticoncepcional juntos aumenta o risco de problemas vasculares e trombose

 

De acordo com a ginecologista, pacientes tabagistas que utilizam pílula anticoncepcional combina ou fazem tratamento de reposição hormonal estão sob maior risco de eventos tromboembólicos, como a Trombose Venosa Profunda (TVP) e a embolia pulmonar. “Os anticoncepcionais que contêm etinilestradiol (hormônio derivado do estrogênio) promovem um aumento nos fatores pró-coagulantes e diminuição dos fatores anticoagulantes. Isto por si só já aumenta o risco de trombose”, explica a médica. A trombose é a formação de um coágulo sanguíneo (trombo) em uma veia, muitas vezes das pernas, o que provoca dor, inchaço, mudança da cor da pele e queimação. Enquanto a embolia é a formação de coágulos nas artérias pulmonares bloqueando a chegada do fluxo sanguíneo ao pulmão.

 

O cigarro, por sua vez, possui uma substância química chamada nicotina que, assim como o estrogênio dos anticoncepcionais, podem diminuir a capacidade dos vasos sanguíneos. “Provoca uma lesão vascular levando à inflamação e facilitando a formação de trombos”, esclarece a profissional. Além disso, a substância química contida no cigarro estimula a agrupamento de plaquetas (células responsáveis pela coagulação), favorecendo a formação de coágulos nas artérias. Sendo assim, a associação dos dois aumenta o risco de eventos tromboembólicos”, esclarece a profissional.

 

Fatores de risco para ficar atenta

 

Mulheres, em geral, estão mais expostas à fatores de risco do que os homens, por conta da possibilidade de gravidez e ingestão de hormônios em métodos contraceptivos. “Os eventos são mais frequentes na idade avançada do que em meninas jovens, pois nessa fase é maior a chance de fatores de risco como obesidade, varizes e eventos traumáticos”, diz a ginecologista. Gravidez, casos de trombose na família, dificuldade para se movimentar ou imobilidade, viagens de carro, ônibus ou avião prolongadas também são fatores preocupantes para a formação de trombos.

 

Métodos contraceptivos sem estrogênio são alternativas para fumantes

 

A primeira indicação médica para as mulheres que estão em risco é parar de fumar. Dependendo da dificuldade em abrir mão dessa dependência, a ginecologista diz que a escolha do melhor hormônio e da via de administração também vão ajudar a diminuir o risco de acidentes vasculares e trombose. Para a prevenção da gravidez, o DIU com progesterona ou a minipílula (pílula de progesterona) são os mais indicados. Outra alternativa é investir em métodos contraceptivos sem hormônio, como o DIU de cobre (dispositivo intrauterino); o diafragma (inserido meia hora antes da relação sexual); capuz cervical (método de barreira, encaixa no cérvix e bloqueia a entrada do esperma); espermicida (substância em creme colocada na vagina para matar os espermatozóides durante o ato sexual) e a esponja contraceptiva (método espermicida inserido na vagina 24h antes do sexo). Cada caso deve ser avaliado individualmente junto ao ginecologista.

 

O cigarro também pode reduzir a lubrificação natural da vagina

 

A lubrificação é a secreção natural da vagina que umidifica a genitália feminina. Esse processo do corpo feminino acontece para facilitar a atividade sexual, deixando a região mais úmida para ocorrer a penetração sem dificuldades. Segundo a ginecologista, o cigarro pode alterar a produção natural das secreções. “Ele altera o fluxo sanguíneo da região, produz desidratação e diminui a lubrificação”, explica. Nas tubas uterinas, a médica diz que o efeito das substâncias do fumo diminui a motilidade e aumenta o risco de gravidez ectópica (complicação em que o embrião se forma fora do útero). Além disso, ela acrescenta: “Também já foi comprovado que mulheres fumantes têm maior risco de menopausa precoce do que as não-fumantes”.

 

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Dra. Paula Bortolai Martins Araujo, Ginecologista-obstetra do IPGO – Instituto Paulista de Ginecologia e Obstetrícia
CRM: 127.101

semprelivre_bottom1_dance_new

  • VOCÊ SABIA?
    Ih, choveu! Veja ideias do que fazer para se divertir com as amigas mesmo dentro de casa
    Tem dias que a gente combina de sair com as amigas, mas a previsão do tempo não colabora..
  • VOCÊ SABIA?
    6 coisas que você precisa saber antes de viajar com seus amigos
    Fazer uma viagem acompanhada de amigos é uma das melhores coisas da vida! Se divertir, pa..
  • VOCÊ SABIA?
    4 coisas que passam pela sua cabeça antes de chegar ao primeiro encontro
    Por mais que a gente seja confiante, o primeiro encontro com o carinha interessante sempre..
  • VOCÊ SABIA?
    Vai passar o dia na praia? Veja o que levar na bolsa!
    No verão, tudo o que a gente mais quer é relaxar, se divertir e ficar com aquele bronzea..
  • VER TODAS >

    ÚLTIMAS Novidades

  • Quiz
    Você conhece as principais ISTs? Faça o teste e descubra!
    As ISTs são um grupo de infecções que têm como principal via de transmissão o sexo. Elas...
    Você conhece as principais ISTs? Faça o teste e descubra!
  • Quiz
    Você conhece as principais ISTs? Faça o teste e descubra!
    As ISTs são um grupo de infecções que têm como principal via de transmissão o sexo. Elas...
    Você conhece as principais ISTs? Faça o teste e descubra!
  • Menstruação
    Sinto cólicas mas minha menstruação não desce. É normal?
    A cólica é um sintoma que normalmente é associado à chegada da menstruação. No entanto,...
    Sinto cólicas mas minha menstruação não desce. É normal?
  • Menstruação
    Sinto cólicas mas minha menstruação não desce. É normal?
    A cólica é um sintoma que normalmente é associado à chegada da menstruação. No entanto,...
    Sinto cólicas mas minha menstruação não desce. É normal?
  • VER TODAS >