Skip to main content

Header Social Network

SIGA NOSSAS REDES!
Home

Header Right Logoes

INSPIRADO POR:

O que é DIU: saiba tudo sobre o método contraceptivo sem hormônio

O que é DIU: saiba tudo sobre o método contraceptivo sem hormônio

O Dispositivo Intra-Uterino, conhecido como DIU, é um método anticoncepcional que começou a ficar mais conhecido a partir dos anos 2000. Ele é um pequeno aparelho de plástico flexível que é inserido no útero, por um ginecologista, para exercer ações que previnem a gravidez. Uma das maiores vantagens do DIU é a longa duração (aproximadamente 10 anos) e o fato de não conter hormônios. Porém, existe também uma versão com hormônios que ajudam a reduzir menstruação. Conversamos com um ginecologista para saber mais sobre o anticoncepcional!


 

Com ou sem hormônios? Conheça os dois tipos de DIU

 

Há alguns tipos de DIU, mas, atualmente, no Brasil, o de cobre é o mais procurado, principalmente pelo fato de não conter hormônios. O DIU que libera o hormônio dentro do útero é conhecido como SIU. As duas versões impedem que os espermatozóides cheguem ao óvulo, prevenindo a gravidez.

 

O DIU de cobre costuma ser uma opção atrativa, principalmente, para mulheres que não desejam ingerir mais hormônios ou para as que possuem riscos de uso do estrogênio, seja por causa de um histórico de doenças cardiovasculares, tabagismo, amamentação ou outro motivo. “O DIU de cobre não apresenta os riscos e efeitos colaterais do uso de hormônios, a fertilidade retorna imediatamente após sua retirada. Além disso, ele pode ser inserido imediatamente após o parto”, diz.

 

Quanto ao SIU hormonal, além do efeito contraceptivo, o ginecologista afirma que uma vantagem é a redução do fluxo menstrual, para quem sofre com fluxos muito intensos. Após algum tempo de uso, pode ser também que algumas mulheres parem de menstruar.

 

Como é a colocação do DIU?

 

A inserção, independente do tipo de DIU, é feita através de exame ginecológico. “Usamos o aplicador que já acompanha o DIU, então ele é colocado dentro da cavidade uterina, através do colo”, explica o ginecologista Gustavo de Paula Pereira. De acordo com o médico, cada paciente sente um tipo de desconforto na hora da colocação, mas geralmente é bem tolerada. “Em casos excepcionais ou por solicitação da mulher, pode-se inseri-lo sob anestesia, em centro cirúrgico”, esclarece.

 

Quais as vantagens do DIU em relação aos outros métodos contraceptivos?
 

O médico destaca o tempo de uso como uma vantagem interessante. “É um método de longa duração. Em média, 10 anos para o DIU de cobre e 5 para o SIU”, diz. O método possui alta eficácia, não interfere na libido, pode ser usado durante o período de amamentação e não interage com outra medicação.
 

Toda mulher pode colocar DIU?
 

Segundo o especialista, o DIU tem algumas restrições de uso, mas somente em casos bem específicos como:
 

- gravidez confirmada ou suspeita;

- infecção pós-parto ou pós-aborto;

- sangramento genital de natureza desconhecida;

- doença inflamatória pélvica atual ou recente;

- câncer genital ou pélvico. No caso do câncer de mama, o DIU de cobre pode ser usado sem restrições;

- alterações anatômicas uterinas que comprometam o correto posicionamento do dispositivo;

- mulheres entre 48 horas e 4 semanas após o parto;

- mulheres com comportamento de risco para DSTs (com múltiplos parceiros ou parceiro com múltiplas parceiras);

- AIDS, deve ser avaliada cuidadosamente quanto a outras opções de método contraceptivo e sempre usar camisinha associada.

 

Casos de uso sem restrições:

 

- não ser portadora de qualquer das restrições acima;

- após aborto de primeiro trimestre sem complicação;

- idade maior que 35 anos;

- hipertensão, diabetes, obesidades, dislipidemias;

- epilepsia;

 

Casos em que os benefícios superam os riscos:

 

- adolescente;

- anemia;

- miomas;

- endometriose;

- dismenorréia.

 

É importante reforçar que a escolha do método anticoncepcional deve ser uma decisão consciente de cada mulher. E, é claro, sob supervisão do seu médico de confiança, sempre levando em conta os riscos e benefícios de cada método. ;)

 

Dr. Gustavo de Paula Pereira - Ginecologista

CRM: 119970 - SP

bottom1_batom_Carefree

tag_sempre_banner tag_sempre_banner_mob

semprelivre_bottom1_dance_new

  • Menstruação
    Posso ir à praia ou piscina menstruada? Saiba como curtir o verão sem neuras!
    Foi para um lugar de praia e ficou menstruada no meio da viagem? Não tem problema! Com a ..
  • Menstruação
    Veja 6 situações do dia a dia que quem sente muita cólica vai se identificar
    “Oi, sumida?!”. Todo mês as cólicas surgem de surpresa, como a mensagem daquele cari..
  • Menstruação
    Qual a diferença entre cobertura suave e seca? Saiba como escolher a ideal para você!
    Quem já se perguntou alguma vez por que existem taaaantas opções de absorventes diferen..
  • Menstruação
    Frescura? Sério? Pensamentos que passam pela sua cabeça quando alguém reclama da sua TPM
    Apesar da tensão pré-menstrual ser um momento só seu, todo mundo adora dar pitacos, né..
  • VER TODAS >

    ÚLTIMAS Novidades

  • Quiz
    Você sabe qual a diferença do período fértil e ovulação? Teste seus conhecimentos
    A ovulação e o período fértil são duas fases do ciclo menstrual em que a mulher tem mais...
    Você sabe qual a diferença do período fértil e ovulação?  Teste seus conhecimentos
  • Menstruação
    Menstruação preta: veja por que a menstruação escurece
    Na maioria das vezes, a menstruação preta é normal e não representa problemas de saúde....
    Menstruação preta: veja por que a menstruação escurece
  • Menstruação
    Quantos dias depois de acabar o anticoncepcional desce a menstruação? tire 4 dúvidas sobre anticoncepcional hormonal
    Muitas mulheres ficam em dúvida sobre quantos dias depois de acabar o anticoncepcional...
    Quantos dias depois de acabar o anticoncepcional desce a menstruação? tire 4 dúvidas sobre anticoncepcional hormonal
  • SE CUIDA!
    Primeira consulta com ginecologista: pode ser online?
    A primeira consulta com o ginecologista é um momento muito importante para esclarecer...
    Primeira consulta com ginecologista: pode ser online?
  • VER TODAS >