Skip to main content

Header Social Network

SIGA NOSSAS REDES!
Home

Header Right Logoes

INSPIRADO POR:

O que é a candidíase e como evitá-la: aprenda os cuidados fundamentais com sua vagina

O que é a candidíase e como evitá-la: aprenda os cuidados fundamentais com sua vagina

A candidíase vaginal é uma das infecções vaginais mais comuns entre as mulheres. Ela ocorre devido a um desequilíbrio na flora vaginal causado pela proliferação do fungo Candida. Essa alteração no ambiente natural da vagina costuma estar associada a hábitos de higiene inadequados e quadros de baixa imunidade. Os principais sintomas de candidíase são corrimento espesso e esbranquiçado, que pode vir acompanhado de mau cheiro, coceira vaginal e irritação na vulva. Se você perceber algum desses sinais, não deixe de consultar um ginecologista! Depois de te examinar, ele vai passar um exame para diagnosticar o problema e recomendar o tratamento mais adequado. O Só Delas conversou com a ginecologista Bárbara Murayama para saber mais sobre o que é candidíase e como tratar a infecção vaginal da maneira correta.

 

O que é candidíase? 
 

Doutora Bárbara Murayama explica que a candidíase causada pelo fungo Candida Albicans, que já existe naturalmente na vagina. Entretanto, quando ocorre algum desequilíbrio na flora vaginal, a população do fungo Candida aumenta e enfraquece os lactobacilos, microorganismos responsáveis pela proteção da região íntima. As principais causas de candidíase são deficiência imunológica e higiene inadequada, mas segundo a ginecologista, outros fatores também podem desencadear a infecção.  “ Uso de anticoncepcionais, gravidez, antibióticos e medicações à base de corticóide podem facilitar a proliferação desses fungos”, explica a médica, afirmando que ter relações sexuais sem preservativo também facilita o desenvolvimento da candidíase, mesmo a infecção não sendo considerada uma DST (Doença Sexualmente Transmissível)

 

Corrimento branco é principal sintoma de candidíase

 

O sintoma mais característico da candidíase é o corrimento branco grosso ou com com consistência granulada, semelhante ao aspecto de leite coalhado, que pode apresentar mau cheiro. Outros sintoma comuns da candidíase são a coceira vaginal, vermelhidão na vulva, ardor e dor ao urinar ou durante a relação sexual. Por fim, em alguns casos, é possível que notar pequenas fissuras e feridas na pele e na mucosa da região íntima provocadas por irritação ou alergias. 

 

Cuidados com a higiene íntima são a principal forma de evitar a candidíase
 

A higiene inadequada é uma das principais responsáveis pelos casos de candidíase genital nas mulheres. A médica também chama atenção para o hábito de manter a região íntima abafada e úmida por muito tempo, pois esse é o ambiente ideal para a proliferação de fungos e bactérias que favorecem o aparecimento de infecções vaginais: “É importante que nos dias quentes as mulheres prefiram roupas mais largas e frescas e calcinhas de algodão para deixar a região arejada”. Por isso, aquele hábito de ficar o dia todo de biquíni ou maiô no pós-praia também deve ser esquecido. “Ficar de roupa molhada por longos períodos é o ambiente perfeito para criar fungos”, alerta a especialista.  

 

Tratamento da candidíase é feito com uso de medicação antifúngica oral ou tópica

 

O tratamento da candidíase vaginal é mais simples do que você imagina. “É feito com medicações antifúngicas, que podem ser via oral ou vaginal. Isso vai depender do quadro clínico de cada paciente”, explicou a ginecologista. Os remédios costumam ser receitados pelo período de 7 dias (uma semana) e logo nos primeiros dias já é possível perceber uma melhora nos sintomas. È fundamental que durante o tratamento, a paciente evite ter relações sexuais sem proteção e não faça uso de bebidas alcoólicas. Depois disso, basta seguir as orientações  do médico sobre higiene íntima e outros hábitos que podem manter a mulher protegida e com a saúde vaginal em dia. Veja alguns hábitos que podem te ajudar a prevenir a candidíase:

 

Dica 1: Usar roupas mais frescas, como saias e vestidos que permitem maior ventilação; 

Dica 2: Usar camisinha em todas as relações sexuais; 

Dica 3: Evitar usar biquínis ou maiôs molhados por muito tempo;

Dica 4: Respeitar o tempo máximo de uso do absorvente quando estiver menstruada;

Dica 5: Manter uma boa alimentação e reduzir o consumo de doces;

Dica 6: Não compartilhar peças de uso íntimo;

Dica 7: Não usar lenços umedecidos e papel higiênico com aromatizante, 

Dica 8: Ir ao ginecologista regularmente;

Dica 9: Não fazer uso de duchas vaginais e chuveirinho durante o banho; 

Dica 10: Fazer a higiene íntima apenas na região externa (vulva, grandes e pequenos lábios e ânus) com água e sabonete íntimo com pH neutro. 


Dra. Bárbara Murayama - Ginecologista
CRM: 112527

* Matéria atualizada em 30 de abril de 2020

bottom1_batom_Carefree

tag_sempre_banner tag_sempre_banner_mob

semprelivre_bottom1_dance_new

  • PODEROSAS
    Viajada: 7 dicas para quem quer viajar sozinha nessas férias!
    A gente sabe que as mulheres estão cada vez mais independentes, inclusive na hora de viaj..
  • PODEROSAS
    Férias em casa: 5 dicas de livros de autoras fortes para curtir o tempo livre
    Em meio a tantos best-sellers com protagonistas homens, existe um universo de autoras mulh..
  • PODEROSAS
    10 segredos para você se sentir mais confiante sem mudar o visual
    Às vezes tudo o que a gente precisa para se achar mais confiante é inserir pequenos háb..
  • PODEROSAS
    Girl power! Listamos 9 filmes para assistir com mulheres empoderadas como protagonistas
    Uma das melhores formas de descontrair e buscar se empoderar é conhecendo e se inspirando..
  • VER TODAS >

    ÚLTIMAS Novidades

  • Quiz
    Você conhece as principais ISTs? Faça o teste e descubra!
    As ISTs são um grupo de infecções que têm como principal via de transmissão o sexo. Elas...
    Você conhece as principais ISTs? Faça o teste e descubra!
  • Quiz
    Você conhece as principais ISTs? Faça o teste e descubra!
    As ISTs são um grupo de infecções que têm como principal via de transmissão o sexo. Elas...
    Você conhece as principais ISTs? Faça o teste e descubra!
  • Menstruação
    Sinto cólicas mas minha menstruação não desce. É normal?
    A cólica é um sintoma que normalmente é associado à chegada da menstruação. No entanto,...
    Sinto cólicas mas minha menstruação não desce. É normal?
  • Menstruação
    Sinto cólicas mas minha menstruação não desce. É normal?
    A cólica é um sintoma que normalmente é associado à chegada da menstruação. No entanto,...
    Sinto cólicas mas minha menstruação não desce. É normal?
  • VER TODAS >