Skip to main content

Header Social Network

SIGA NOSSAS REDES!
Home

Header Right Logoes

INSPIRADO POR:

Lubrificação feminina tem odor?

Lubrificação feminina tem odor?

Você sabe o que significa lubrificação feminina? O fluido nada mais é do que a secreção vaginal da mulher, que é “empurrada” para as superfícies das paredes vaginais quando há um aumento da pressão sanguínea em momentos de excitação. Esse líquido tem tonalidade transparente, esbranquiçada ou levemente amarelada (principalmente, após secar na calcinha) e pode, sim, ter um odor sutil. O cheiro natural feminino é considerado normal e não deve ser motivo de vergonha ou preocupação.

 

Em conversa com o Só Delas, o ginecologista Alexandre Pupo explica por que o odor da vagina é normal e ensina a identificar possíveis alterações no odor da região íntima feminina.  

 

Toda vagina tem cheiro! Entenda

 

A secreção vaginal da mulher é composta por muco cervical, células do colo do útero e da vagina, bactérias e água. Por isso, as características da lubrificação feminina (aspecto, cor, textura e cheiro) podem variar de acordo com alguns fatores, como alterações hormonais e até mesmo hábitos alimentares. 

 

Segundo o doutor Alexandre Pupo, “a parte interna da vagina é toda colonizada por bactérias, que podem provocar um odor discretamente azedo, que não agride e nem afeta o dia a dia da mulher”. Esse cheirinho levemente azedo está associado principalmente aos lactobacilos - bactérias de proteção da vagina da mulher, que produzem ácido lático e mantêm o pH vaginal ácido. 

 

Além disso, as glândulas sudoríparas presentes na virilha podem acumular suor e bactérias na região íntima ao longo do dia e provocar um odor característico. “É normal a região genital ter um odor mais forte no final do dia relacionado a essas questões das glândulas sudoríparas”, diz o médico. Mas, nada que roupas leves e uma higiene íntima adequada não resolvam.

 

Cheiro forte depois da relação: é normal?

 

De acordo com o ginecologista, “o esperma também tem um odor característico. Um odor levemente adocicado graças à grande quantidade de frutose presente para ajudar a manter vivos os espermatozóides”. Por isso, é natural sentir um odor mais acentuado após a relação sexual, desde que esse cheiro não seja muito forte ou desagradável. 

 

“Quando tenho relação, sai um mau cheiro”: o que pode ser?

 

Não é normal ter cheiro forte nas partes íntimas. O problema pode estar relacionado a doenças e infecções vaginais. “A presença de odor desagradável após a relação sexual normalmente está ligada a uma doença chamada vaginose bacteriana. Em especial, um cheiro forte como se fosse literalmente peixe podre ou carne podre”, alerta o ginecologista. 

 

A vaginose bacteriana acontece quando a bactéria Gardnerella vaginalis, que habita naturalmente a flora vaginal, se multiplica exacerbadamente. O médico explica que, “quando está presente em excesso, a bactéria pode exalar aminas que recebem o nome de putrefina e cadaverina, por conta do odor muito forte que provocam quando entram em contato com substâncias de pH básico, como a urina e o esperma”.

 

Além do corrimento com cheiro de peixe e tonalidade acinzentada, a vaginose bacteriana pode causar coceira e ardência na vagina. Para identificar essa e outras infecções vaginais e dar início ao tratamento adequado o quanto antes, é importante estar atenta a sintomas fora do habitual e a detalhes como qual a cor da lubrificação feminina, a textura e o odor da secreção. 

 

O remédio para mau cheiro nas partes íntimas deve ser direcionado para tratar o agente infeccioso em questão. No caso da vaginose bacteriana, o tratamento costuma ser feito por meio de medicamentos antibióticos via oral ou vaginal (em forma de cremes e pomadas vaginais). Como sempre gostamos de ressaltar, sempre deve-se consultar um profissional de sua confiança para diagnóstico e tratamento corretos. 

 

Este artigo tem a contribuição do especialista:

Alexandre Pupo Nogueira - ginecologista e obstetra membro do corpo clínico do Hospital Albert Einstein, é também mastologista e Membro Titular do Núcleo de Mastologia do Hospital Sírio Libanês

CRM-SP: 84.414

semprelivre_bottom1_dance_new

  • PRIMEIRA VEZ
    Medo de ir ao ginecologista? Não precisa! Saiba o que esperar de uma primeira consulta
    A primeira ida ao ginecologista gera um certo receio em muitas garotas, mas não há motiv..
  • PRIMEIRA VEZ
    1º dia de aula na faculdade: a blogueira Natalia Salvador contou como encarou o medo e deu dicas de como lidar com essa mudança
    Uma das maiores mudanças do início da nossa vida adulta é a entrada para a universidade..
  • PRIMEIRA VEZ
    5 coisas que ninguém te contou sobre sua primeira menstruação
    A primeira menstruação acontece de forma inesperada, já que, na maioria das vezes a gen..
  • PRIMEIRA VEZ
    Intercâmbio: blogueira Paola Piola conta sobre a 1ª vez que lidou com a independência em outro país
    Fazer intercâmbio é o sonho de muitas adolescentes, principalmente depois dos 18 anos, q..
  • VER TODAS >

    ÚLTIMAS Novidades

  • Quiz
    Você conhece as principais ISTs? Faça o teste e descubra!
    As ISTs são um grupo de infecções que têm como principal via de transmissão o sexo. Elas...
    Você conhece as principais ISTs? Faça o teste e descubra!
  • Quiz
    Você conhece as principais ISTs? Faça o teste e descubra!
    As ISTs são um grupo de infecções que têm como principal via de transmissão o sexo. Elas...
    Você conhece as principais ISTs? Faça o teste e descubra!
  • Menstruação
    Sinto cólicas mas minha menstruação não desce. É normal?
    A cólica é um sintoma que normalmente é associado à chegada da menstruação. No entanto,...
    Sinto cólicas mas minha menstruação não desce. É normal?
  • Menstruação
    Sinto cólicas mas minha menstruação não desce. É normal?
    A cólica é um sintoma que normalmente é associado à chegada da menstruação. No entanto,...
    Sinto cólicas mas minha menstruação não desce. É normal?
  • VER TODAS >