Skip to main content

Header Social Network

SIGA NOSSAS REDES!
Home

Header Right Logoes

INSPIRADO POR:

Infecção vaginal: o que é, tipos e como tratar as doenças

Infecção vaginal: o que é, tipos e como tratar as doenças

A infecção vaginal é marcada pela presença de um agente infeccioso na flora vaginal, como bactérias, fungos ou protozoários. As infecções na vagina mais conhecidas são chamadas de candidíase e vaginose bacteriana. Em ambos os casos, a alteração do pH leva ao enfraquecimento dos microrganismos que protegem a flora, permitindo a proliferação dos mesmos. O resultado disso é o surgimento de corrimento vaginal com mau cheiro, coceira, inflamação, entre outros sintomas.

 

Existem também,as IST, chamadas de Infecções Sexualmente Transmissíveis, que são disseminadas pelo contato sexual sem camisinha com uma pessoa contaminada. As mais conhecidas são: sífilis, gonorreia, clamídia, herpes genital e a AIDS, causada pelo vírus HIV.  O Só Delas reuniu tudo o que você precisa saber sobre infecção vaginal, quais são tipos mais conhecidos, principais causas e tratamentos. Confira!

 

Candidíase: infecção fúngica mais comum em mulheres provoca corrimento branco

 

O que é: candidíase é uma infecção vaginal fúngica causada crescimento excessivo do fungo Candida albicans. Ela costuma se manifestar quando o sistema imunológico está enfraquecido ou devido hábitos como higiene inadequada,como manter a região íntima quente e úmida por muito tempo. Ela também pode surgir após  tratamento com medicamentos antibióticos e antidepressivos. 

 

Sintomas: corrimento branco e grosso, coceira vaginal, vermelhidão na vulva (principalmente nos grandes e pequenos lábios) e ardência ao urinar são os principais sintomas da candidíase. A infecção não é uma Doença Sexualmente Transmissível (DST), mas pode ser transmitida pelo sexo.

 

Diagnóstico: após procurar um ginecologista, o diagnóstico da candidíase pode ser feito pelo preventivo (ou papanicolau), exame em que o médico recolhe uma amostra do corrimento para avaliação. 

 

Tratamento: pode ser feito com uso de creme vaginal ou medicação antifúngica oral. 

 

Vaginose bacteriana é uma infecção marcada pelo corrimento com mau cheiro 

 

O que é: é uma infecção vaginal causada pela bactéria Gardnerella vaginalis, que leva ao enfraquecimento dos lactobacilos da flora vaginal. Dessa forma, agentes nocivos conseguem se reproduzir com mais facilidade na região íntima. 

 

Sintomas: corrimento amarelado ou cinza acompanhado de mau cheiro, coceira e inflamação são os principais sintomas da vaginose. Durante a menstruação, a infecção pode acentuar o odor forte no fluxo menstrual, pois a ação das bactérias tende a aumentar. Algumas mulheres ainda podem sentir ardência ao urinar, dor após a relação sexual  e coceira vaginal. 

 

Diagnóstico: pela coleta de uma amostra do corrimento, o diagnóstico da vaginose é feito pela coleta de uma amostra do corrimento. 

 

Tratamento: se for comprovado a infecção, o tratamento é feito com uso de antibiótico oral ou creme vaginal. É importante que a paciente evite ter relações sexuais durante o tratamento. 

 

Infecção vaginal pode ser ocasiocada pelo contato sexual: veja quais são as principais ISTs

 

As Infecções Sexualmente Transmissíveis são doenças transmitidas pelo contato sexual sem preservativo com uma pessoa infectada. As IST são causadas por vírus, bactérias e parasitas que entram na corrente sanguínea e levam ao desenvolvimentos de infecções. Veja quais são as principais ISTs, sintomas e como é tratamento:

 

1) Tricomoníase: infecção é provocada por parasita e pode ser assintomática

 

O que é: a tricomoníase é uma infecção vaginal causada pelo  protozoário Trichomonas Vaginalis. Além da vagina, ela pode acometer outros órgãos como vulva, colo do útero e uretra. A principal via de contaminação da Tricomoníase é por via sexual, por isso, ela é considerada uma IST.

 

Sintomas: a Tricomoníase pode causar corrimento esverdeado com mau cheiro,  urgência e ardência para urinar, dor na relação sexual, coceira, inchaço e vermelhidão nos genitais. No entanto, em alguns casos, a Tricomoníase pode ser assintomático, ou seja, não manifestar nenhum sintoma.  

 

Diagnóstico: é feito pela observação dos sintomas e exame papanicolau para analisar a parede vaginal e o colo do útero. 

 

Tratamento: O tratamento inclui antibiótico via oral ou vaginal. Além disso, se a mulher tiver um parceiro fixo, é muito importante que ele também faça o tratamento, mesmo que ele não apresente nenhum sintoma. 

 

2) Clamídia: doença atinge principalmente uretra e órgãos genitais

 

O que é: a clamídia é a IST maior prevalência no mundo. Ela atinge tanto homens e mulheres e é causada pela bactéria Chlamydia trachomatis. 

 

Sintomas: a clamídia atinge principalmente a uretra e os órgãos genitais, mas também pode acometer o ânus, faringe e até mesmo causar problemas pulmonares. A doença pode ser assintomática, no entanto, na maioria das vezes apresenta sintomas como dor ou ardor ao urinar, corrimento atípico e, nas mulheres, sangramentos fora do período menstrual.

 

Diagnóstico: o diagnóstico de clamídia é feito a partir da observação dos sintomas. Geralmente, as pessoas procuram o médico quando surgem as primeiras complicações. Em seguida, o profissional pode receitar exames de sangue e urina, para tentar detectar a presença de anticorpos anticlamidia. No caso das mulheres, também é feita uma análise de material colhido no colo do útero. 

 

Tratamento: o tratamento para clamídia consiste no uso de antibiótico para a pessoa infectada e seu(sua) parceiro(a). É importante evitar ter relações durante o período de tratamento. 

 

3) Herpes genital pode causar verrugas e lesões na região genital

 

O que é: a herpes genital é uma IST causada pelo vírus herpes simples (HSV). A doença provoca verrugas e lesões na pele e nas mucosas do corpo, como  órgãos genitais, ânus e boca.

 

Sintomas: o principal sinal da herpes são as verrugas e feridas que começam como manchas vermelhas e vão se desenvolvendo até se tornarem pequenas bolhas cheias de líquidos. Ao se romperem, elas criam casca e cicatrizam sozinhas, espontaneamente. Essas lesões podem causar ardor, coceira e formigamento, mas raramente se agravam. Nas pessoas imunodeprimidas, as lesões acabam sendo mais severas pois o sistema de defesa do organismo encontra dificuldade de criar anticorpos para combater o vírus. 

 

Diagnóstico: a herpes demora cerca de 15 dias para se manifestar no organismo. Por isso, o seu diagnóstico acaba sendo feito somente após o surgimento dos primeiros sintomas visíveis, que devem ser avaliados por um ginecologista para receber o tratamento adequado.  

 

Tratamento: o tratamento de herpes genital é feito com medicação antiviral que ajuda a evitar a replicação do vírus e aliviar os incômodos causados pelas lesões. No entanto, o medicamento só é utilizado nos momentos de crise com surgimento de sintomas. Quando não há indício de lesões, dizemos que o vírus está recolhido e a medicação não é necessária.  

 

4) Sífilis é uma infecção bacteriana que pode se manifestar em três estágios 

 

O que é: a sífilis é uma infecção causada pela bactéria Treponema pallidum. A doença é transmitida pelo contato com o sangue infectado durante a relação sexual sem camisinha ou através de uma transfusão de sangue. A sífilis é uma infecção perigosa principalmente se a pessoa infectada estiver grávida. 

 

Sintomas: a sífilis manifesta sintomas em três estágios: o primeiro é marcado pelo surgimento de lesões nos órgãos genitais que desaparecem espontaneamente. O segundo causa manchas vermelhas na pele, na mucosa da boca, palma das mãos e dos pés, febre, dor de cabeça e mal-estar. Os sintomas também regridem sem tratamento, mas isso não significa que a pessoa está curada da doença. O terceiro estágio é mais grave e pode comprometer o sistema nervoso central e cardiovascular. 

 

Diagnóstico: o diagnóstico a sífilis é feito a partir do exame de sangue ou pela análise de amostras retiradas das lesões que comprovem a presença da bactéria. 

 

Tratamento: o tratamento da sífilis é feito com antibiótico para a pessoa infectada e o(a) parceiro(a) sexual. 

 

5) Gonorréia é uma infecção causada por bactéria que atinge a uretra 

 

O que é: a gonorreia é uma infecção causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, que atinge  principalmente  a uretra, canal que liga a bexiga ao meio externo, e pode alcançar o colo do útero e o reto. A transmissão da doença é pelo contato sexual sem preservativo tanto no sexo vaginal, anal ou oral, visto que, na prática do sexo oral, a bactéria pode se instalar na garganta. 

 

Sintomas: pessoas com gonorreia podem desenvolver infecção urinária, dor e ardor ao urinar e secreção amarelo-esverdeada da uretra. Em alguns casos, ela também pode causar coceira e sangramento na região genital. 

 

Diagnóstico: o diagnóstico de gonorréia é feito a partir de exame de sangue e coleta de material diretamente da uretra para análise. O tratamento consiste em uso de antibiótico oral ou injetável e deve incluir o(a) parceiro(a) também. É importante que a paciente evite ter relações sexuais durante o período em que ainda não estiver curado. 

 

6) AIDS é causada pelo vírus HIV leva ao enfraquecimento progressivo  do sistema imunológico

 

O que é: a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), é uma doença causada pelo vírus HIV. Ao entrar na corrente sanguínea, o vírus se instala nas células do sistema imunológico, causando o seu enfraquecimento progressivo. Assim,  o organismo começa a enfrentar dificuldade de combater outras doenças e infecções e a a pessoa infectada se torna mais vulnerável, pois sua imunidade tende a ficar cada vez mais baixa. Com o tempo, ela pode vir a desenvolver AIDS. 

 

Sintomas: a AIDS é uma síndrome, ou seja, ela é um conjunto de sintomas que podem variar para cada pessoa. Normalmente, os sinais surgem de maneira mais leve, como febre ou mal-estar passageiro. Com o tempo, a febre pode se tornar alta e constante e a pessoa começa a apresentar manchas na pele, calafrios, dores musculares e de garganta. O vírus HIV muitas vezes é assintomático e uma pessoa pode viver bastante tempo com o vírus no organismo sem manifestar os sintomas da doença. 

 

Diagnóstico: o diagnóstico da AIDS é feito com um exame específico chamado de teste Elisa. O objetivo é identificar a presença de anticorpos contra o vírus HIV no sangue. 

 

Tratamento: a AIDS não tem cura, mas o tratamento adequado garante que uma pessoa viva muitos anos com a doença sem graves complicações. Para isso, é receitado um coquetel de medicamentos antirretrovirais que buscam evitar a replicação do vírus e a destruição das células de defesa. Além disso, quanto mais cedo os HIV-positivos iniciam o tratamento maiores são as chances de que eles não cheguem a desenvolver o problema. 

 

Confira 7 dicas para evitar infecção na vagina

 

Diversos fatores podem levar ao desequilíbrio da flora vaginal. Entre eles, o uso de roupas juntas na região íntima, biquíni e maiô úmidos, ter relações sexuais sem camisinha, má higiene íntima, entre outros. Por isso, separamos 7 dicas de como evitar uma infecção vaginal e manter a região íntima saudável. 

 

1) Faça a higiene corretamente: a higienização deve ser feita no banho, apenas na parte externa com uso de água e sabonete íntimo com pH neutro. Não é necessário fazer a limpeza interna, pois essa prática pode alterar o ambiente natural da vagina e desregular o pH vaginal. 

 

2) Usar roupas frescas na região íntima: roupas muito justas e apertadas podem causar o abafamento da região íntima e prejudicar a circulação de ar. O ideal é escolher peças mais largas e feitas com tecidos mais leves. 

 

3) Dê preferência por calcinhas de algodão: procure investir em calcinhas feitas de algodão, pois o material ajuda na ventilação. 

 

4) Evite ficar com biquíni úmido muito tempo: a umidade também é o ambiente perfeito para proliferação de fungos e bactérias na região íntima. Quando for à praia ou piscina, procure levar uma calcinha seca extra para trocar quando sair. 

 

5) Não passar muito tempo com o mesmo absorvente: o  ideal é que a troca do absorvente seja feita com frequência, a cada 3 horas para o absorvente externo e a cada 4 horas para o interno. 

 

6) Usar camisinha: o uso do preservativo em todas as relações sexuais é a única forma de prevenir IST.   

 

7) Fazer a limpeza das fezes e urina sempre de frente para trás: dessa forma, você evita que as bactérias do ânus cheguem ao canal vaginal.

SL_Arroba_turbante_Semprejunta

Symantic Display

  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Bartholinite: o que é, sintomas e como tratar
    Bartholinite: o que é, sintomas e como tratar
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Inflamação pélvica: aprenda o que é, as causas e como tratar
    Inflamação pélvica: aprenda o que é, as causas e como tratar
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Vaginismo: o que é, quais são os sintomas e como tratar
    Vaginismo: o que é, quais são os sintomas e como tratar
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Coceira vaginal: saiba o que dá origem ao incômodo e como tratar
    Coceira vaginal: saiba o que dá origem ao incômodo e como tratar
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Infecção vaginal: conheça 3 tipos diferentes, principais sintomas e tratamentos
    Infecção vaginal: conheça 3 tipos diferentes, principais sintomas e tratamentos
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Método contraceptivo diafragma: o que é, como funciona e passo a passo para colocá-lo
    Método contraceptivo diafragma: o que é, como funciona e passo a passo para colocá-lo
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Pílula anticoncepcional também pode tratar doenças? Veja o que profissionais respondem
    Pílula anticoncepcional também pode tratar doenças? Veja o que profissionais respondem
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Sintomas de herpes genital: fique atenta aos sinais e saiba como tratar
    Sintomas de herpes genital: fique atenta aos sinais e saiba como tratar
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Tratamentos para candidíase vaginal: o que você precisa saber para tratar os sintomas
    Tratamentos para candidíase vaginal: o que você precisa saber para tratar os sintomas
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Cólicas fortes: causas, como aliviar e o que fazer para tratar
    Cólicas fortes: causas, como aliviar e o que fazer para tratar
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • semprelivre_bottom1_dance_new

  • Menstruação
    Posso ir à praia ou piscina menstruada? Saiba como curtir o verão sem neuras!
    Foi para um lugar de praia e ficou menstruada no meio da viagem? Não tem problema! Com a ..
  • Menstruação
    Veja 6 situações do dia a dia que quem sente muita cólica vai se identificar
    “Oi, sumida?!”. Todo mês as cólicas surgem de surpresa, como a mensagem daquele cari..
  • Menstruação
    Qual a diferença entre cobertura suave e seca? Saiba como escolher a ideal para você!
    Quem já se perguntou alguma vez por que existem taaaantas opções de absorventes diferen..
  • Menstruação
    Frescura? Sério? Pensamentos que passam pela sua cabeça quando alguém reclama da sua TPM
    Apesar da tensão pré-menstrual ser um momento só seu, todo mundo adora dar pitacos, né..
  • VER TODAS >

    ÚLTIMAS Novidades

  • PRIMEIRA VEZ
    Primeira menstruação: 11 fatos importantes para te ajudar a se preparar para a menarca
    A primeira menstruação, chamada de menarca pela ciência, marca o início da vida...
    Primeira menstruação: 11 fatos importantes para te ajudar a se preparar para a menarca
  • Menstruação
    Absorvente Sempre Livre Adapt Plus proporciona conforto flexibilidade e discrição. Confira!
    Toda mulher merece um absorvente que a deixe confortável e segura sem precisar abrir mão...
    Absorvente Sempre Livre Adapt Plus proporciona conforto flexibilidade e discrição. Confira!
  • Menstruação
    O.B.® Médio ProComfort é a melhor opção para fluxo moderado: conheça os benefícios
    A maneira ideal de escolher o absorvente interno é saber identificar qual é a intensidade...
    O.B.® Médio ProComfort é a melhor opção para fluxo moderado: conheça os benefícios
  • Menstruação
    Cor da menstruação: vermelha, marrom ou preta pode mudar com o tempo?
    Você já deve ter percebido que a cor da menstruação muda ao longo do período menstrual. A...
    Cor da menstruação: vermelha, marrom ou preta pode mudar com o tempo?
  • VER TODAS >