Skip to main content

Header Social Network

SIGA NOSSAS REDES!
Home

Header Right Logoes

INSPIRADO POR:

Corrimento ou lubrificação feminina? Saiba diferenciar as secreções vaginais

Corrimento ou lubrificação feminina? Saiba diferenciar as secreções vaginais

Muitas pessoas ficam em dúvida sobre qual a diferença entre corrimento e secreção vaginal fisiológica. O primeiro é um tipo de fluido liberado pela vagina quando ocorre algum desequilíbrio na sua flora, geralmente provocado pela proliferação de fungos ou bactérias. Já a secreção fisiológica, também conhecida como muco cervical, é uma lubrificação produzida naturalmente pelas células do colo do útero. Sua função é manter o canal vaginal úmido e protegido contra infecções. Por isso, entender a diferença entre secreção vaginal e lubrificação natural ajuda a mulher a ter mais atenção quando há algo de errado na região íntima.

 

Saiba como diferenciar os tipos de secreção vaginal saudáveis e patológicas. 

 

 

Secreção vaginal aumenta de volume de acordo com cada fase do ciclo menstrual 

 

A secreção vaginal é um fluido fisiológico constituído por células do colo uterino, bactérias naturais da flora vaginal e água. Seu aspecto é transparente, levemente pegajoso e sem cheiro. Sua produção ocorre devido a ação do estrogênio, um dos hormônios sexuais femininos. Por isso, seu volume varia conforme as oscilações hormonais do ciclo menstrual. Após a menstruação, as taxas de estrogênio começam a subir progressivamente com o objetivo de estimular o amadurecimento e liberação do óvulo. Ao mesmo tempo, o colo uterino aumenta a produção de muco cervical, tornando o canal vaginal mais lubrificado. O objetivo é permitir que o espermatozóide chegue até o colo do útero e encontre um óvulo para ser fecundado. Quanto mais espessa e elástica a secreção da vagina estiver, maiores as chances de fecundação caso a relação sexual seja feita sem nenhum tipo de método contraceptivo. 

 

Outra função muito importante da secreção vaginal é manter a região íntima em equilíbrio. O muco cria um ambiente saudável para o crescimento dos lactobacilos, bactérias que habitam na flora vaginal e ajudam a proteger a vagina contra infecções. Por outro lado, a secreção fisiológica também funciona como um lubrificante natural que auxilia durante a relação sexual, tornando a penetração mais prazerosa. Por isso, sua produção aumenta como resposta a excitação. 

 


 

Diferente da lubrificação, o corrimento vaginal está associado a presença de infecções na região íntima 

 

Corrimento vaginal é todo tipo de secreção de origem patológica. Esse tipo de fluido surge quando há algum desequilíbrio no ambiente natural da vaginal, como alteração na acidez do seu pH e enfraquecimento dos lactobacilos. As principais causas de corrimento na região íntima são infecções causadas por fungos ou bactérias nocivas. 

 

As infecções responsáveis por corrimento anormal são: candidíase, tricomoníase, vaginose bacteriana, gonorreia e clamídia

 

Outros fatores que podem provocar corrimento anormal são higiene inadequada e manter a região íntima abafada. A vagina é um órgão que precisa respirar e, por isso, o ideal é evitar vestimentas muito apertadas que impeçam a circulação de ar. Por fim, o consumo excessivo de açúcar e carboidratos aumenta os níveis de glicose no corpo, alterando o pH vaginal e causando corrimentos vaginais. 

 


 

Como acabar com corrimentos vaginais

 

Todo corrimento sinaliza desequilíbrios na região íntima que precisam ser tratados. Por isso, ao notar qualquer alteração no aspecto da secreção na vagina, a recomendação é consultar um ginecologista. O tratamento contra corrimento por infecção varia de acordo com a causa, mas costuma ser feito com medicação antifúngica ou antibiótico. 

 

Além do tratamento medicamentoso, também é válido investir em uma série de cuidados especiais para prevenir corrimentos vaginais. O primeiro é manter uma boa higiene íntima, com uso de água e sabonete líquido com pH neutro. Outros produtos podem provocar alterações no ambiente da vagina, desencadeando infecções. Investir em uma alimentação balanceada é outra forma de reduzir os riscos de corrimentos. Dê preferência a alimentos como frutas, verduras e legumes. Iogurtes probióticos são grandes aliados da flora vaginal, pois fortalecem os lactobacilos.

 

 

PRODUTOS
Relacionado

CAREFREE® TodoDia
CAREFREE® TodoDia

semprelivre_bottom1_dance_new

  • A MÚSICA ME MOVE
    Sem tempo de ir à academia? Veja 5 canais no Youtube para dançar e queimar calorias em casa
    Trabalhar, se divertir, dormir direito e ainda se preocupar com a saúde… Ufa! Taí uma ..
  • A MÚSICA ME MOVE
    12 músicas para animar sua viagem de férias na praia com amigos
    Com o verão rolando, nada melhor do que viajar com os amigos e curtir uns dias na praia. ..
  • A MÚSICA ME MOVE
    Conheça Kiana Léde, a menina que está bombando no Youtube com versões acústicas de hits!
    Já ouviu algum cover de Kiana Ledé? Não? Então fica a dica: procura o canal dela no Yo..
  • A MÚSICA ME MOVE
    Ouvir música, dançar, ler: 5 coisas que você pode fazer para esquecer a TPM!
    A gente já falou por aqui que a TPM é supernormal e toda mulher tem, pelo menos, algum s..
  • VER TODAS >

    ÚLTIMAS Novidades

  • Menstruação
    Corrimento marrom depois da menstruação com cólicas pode ser gravidez?
    O corrimento marrom depois da menstruação com cólicas pode ser considerado normal....
    Corrimento marrom depois da menstruação com cólicas pode ser gravidez?
  • SE CUIDA!
    Enquete: Você usa protetor diário?
    Conte para o Só Delas se você usa o protetor diário todos os dias!
    Enquete: Você usa protetor diário?
  • SE CUIDA!
    5 coisas que toda mulher precisa saber sobre pílula do dia seguinte
    Muitas já ouviram falar, mas entender como a pílula do dia seguinte funciona é...
    5 coisas que toda mulher precisa saber sobre pílula do dia seguinte
  • SE CUIDA!
    Como tratar infecção urinária? Ginecologista explica como prevenir e tratar a doença
    A infecção urinária acontece quando bactérias invadem o trato urinário e se multiplicam...
    Como tratar infecção urinária? Ginecologista explica como prevenir e tratar a doença
  • VER TODAS >