Skip to main content

Header Social Network

SIGA NOSSAS REDES!
Home

Header Right Logoes

INSPIRADO POR:

Coceira na vulva: saiba o que pode causar e como tratar

Coceira na vulva: saiba o que pode causar e como tratar

A coceira na vagina é um sintoma que pode ser provocado por muitas causas diferentes, desde uma simples reação alérgica até infecções vaginais mais incômodas. Hábitos de higiene inadequados, por exemplo, costumam criar condições favoráveis para o problema. Afinal, a proliferação de bactérias e fungos é um dos principais responsáveis por gerar infecções na vagina cujas manifestações incluem a coceira na parte genital feminina. Em alguns casos, dependendo do agente causador, o transtorno pode vir acompanhado de outros sintomas, como inchaço, vermelhidão e corrimento anormal. Entenda melhor o assunto e saiba como tratar o problema!

 

Coceiras na vagina: veja as principais causas 

 

1)  Higiene íntima incorreta 

 

Não fazer a higiene íntima corretamente ou fazer em excesso pode provocar o desequilíbrio da flora vaginal e incentivar a proliferação de microrganismos responsáveis por ocasionar infecções na região íntima. Entre as principais doenças geradas pela multiplicação excessiva de bactérias e fungos, podemos citar a candidíase e vaginose bacteriana. Ambas apresentam a coceira na vagina como sintoma, além de corrimento branco com mau cheiro, ardência ao urinar e inflamação na mucosa vaginal.  

 

Ao notar a presença destes sinais, procure um(a) ginecologista. O(a) especialista poderá fazer o diagnóstico do problema e dar início ao tratamento. Infecções vaginais como a candidíase e a vaginose bacteriana costumam ser tratadas através de cremes de uso local ou de medicamentos antifúngicos via oral. 

 

Veja também: Guia da higiene íntima: infográfico mostra o que fazer e o que evitar

 

2) Sabonete íntimo inadequado 

 

Se engana quem pensa que todos os sabonetes são iguais. Sabonetes inapropriados podem provocar algum tipo de irritação ou alergia e, consequentemente, gerar a coceira na vulva. Na hora de fazer a higiene íntima, vale a pena investir em produtos com o pH neutro e sem perfumes. Desta forma, você evita alterações e desequilíbrios na flora vaginal, que já é naturalmente ácida. Produtos íntimos perfumados, como desodorante, também podem ser prejudiciais para a saúde vulvar.  

 

Veja também: Desodorante íntimo: faz mal usar inibidor de odor na higiene?

 

3) Calcinhas de tecido sintético 

 

Deixe as calcinhas de renda para ocasiões especiais! O recomendado é optar por roupas íntimas de algodão, que permitem a circulação de ar na região da vagina. Tecidos sintéticos, com microfibra e elastano em sua composição, podem abafar e estimular a umidade na área. Assim como a higiene íntima inadequada, o excesso de calor e umidade na vulva também é capaz de provocar infecções vaginais que trazem a coceira como sintoma.  

 

4) Roupas e calças jeans muito apertadas 

 

Seguindo a mesma linha de raciocínio das calcinhas de tecido sintético, roupas muito justas também podem provocar corrimentos e coceiras na vagina. Opte por modelagens mais largas e fresquinhas, que não abafem tanto a região íntima. Sim, a gente sabe que aquela calça jeans skinny é um verdadeiro coringa no armário. Porém, talvez seja melhor substituir a peça em alguns looks para permitir uma melhor circulação do ar na região.  

 

5) Depilação íntima

 

Seja com cera quente, fria ou até mesmo com lâminas, a depilação íntima costuma deixar os poros da vulva entreabertos ou com pequenas lesões. Por isso, é bastante comum sentir coceiras na área após se depilar. Outro ponto deste hábito para ficar de olho é que, sem os pelos, a região íntima passa a contar com menos defesas para possíveis agentes invasores e infecções.  

 

Para contornar o problema, você pode adotar uma depilação parcial dos pelos, sem retirar totalmente, e investir nos cuidados pré e pós depilação. Higienize e a pele da área antes e depois de se depilar. Medidas como essas podem ajudar a diminuir o desconforto.   

 

Veja também: Depilação íntima total pode prejudicar a saúde? Veja mitos e verdades sobre a prática

 

6) Alergias 

 

Esta é uma das causas mais comuns para o aparecimento da coceira na vulva. O primeiro passo é identificar o que está provocando a reação alérgica na região íntima. Procure por produtos ou objetos que tenham entrado em contato direto com a pele da vulva recentemente. Isso pode incluir calcinhas, preservativos, absorventes, desodorantes íntimos e até papel higiênico. Após descobrir a causa da alergia, ficará mais fácil lidar com o problema. 

 

7) Infecções vaginais

 

Como já explicamos acima, hábitos de higiene inadequados são capazes de provocar infecções na vagina e no trato urinário, o que pode gerar a coceira na região íntima. Outros fatores, incluindo ficar muito tempo com biquíni ou maiô molhado, uso de antibiótico, estresse, ansiedade e sexo sem preservativo também podem ser responsáveis por gerar infecções, como a candidíase e a vaginose bacteriana. Além da coceira, ainda podemos citar outros sintomas provenientes destas infecções vaginais: vermelhidão no local, odor vaginal, corrimento branco e espesso e dor na penetração sexual.  

 

8) DST’s 

 

É claro que as DST’s não poderiam ficar de fora dessa lista. Praticamente um denominador comum entre esse tipo de infecção, a coceira vaginal está entre os sintomas de boa parte das Doenças Sexualmente Transmissíveis. As mais conhecidas são: tricomoníase, herpes, sífilis, clamídia, HPV e AIDS. Como já era de se esperar, a melhor forma de evitar o problema é utilizando camisinha (preservativo) em absolutamente todas as relações sexuais e durante todo o ato, não apenas no momento da penetração. Além disso, ao apresentar sintomas, deve-se consultar um ginecologista. 

 

9) Alterações hormonais 

 

Mulheres que estão passando por alterações hormonais e possuem uma quantidade insuficiente do hormônio estrogênio no organismo costumam apresentar secura e irritação vaginal. Isso acontece porque as “paredes” internas da vagina ficam mais finas e fragilizadas, criando o cenário perfeito para que a coceira se instale.  

 

Coceira na região genital feminina: como tratar? 

 

O tratamento para a coceira vaginal ou na vulva vai depender do agente causador. Questões como higiene inadequada e uso de roupas prejudiciais à saúde íntima, por exemplo, podem ser facilmente corrigidas. Nestes casos, basta criar novos hábitos na hora da higienização, escolher os produtos corretos e substituir calcinhas sintéticas e calças jeans justas por peças íntimas de algodão e modelagens mais largas.  

 

Quando o assunto são doenças e infecções, o tratamento pode ser um pouco mais trabalhoso. Em situações como essas, o(a) médico(a) especialista saberá fazer o diagnóstico apropriado e indicar a melhor forma de tratar o problema. Em relação a alterações hormonais, como a menopausa, é possível optar pela reposição hormonal, que pode ser tópica ou sistêmica.  

 

O importante é não perder tempo após observar o aparecimento da coceira e investigar todas as possibilidades. Caso o incômodo persista, procure logo um(a) ginecologista!

SL_Arroba_turbante_Semprejunta

Symantic Display

  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Coceira vaginal: saiba o que dá origem ao incômodo e como tratar
    Coceira vaginal: saiba o que dá origem ao incômodo e como tratar
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Da coceira ao odor forte: saiba quais são os problemas vaginais comuns e que não podem ser ignorados
    Da coceira ao odor forte: saiba quais são os problemas vaginais comuns e que não podem ser ignorados
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Sintomas de herpes genital: fique atenta aos sinais e saiba como tratar
    Sintomas de herpes genital: fique atenta aos sinais e saiba como tratar
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Mau cheiro na virilha e região íntima da mulher o que pode ser e como tratar?
    Mau cheiro na virilha e região íntima da mulher o que pode ser e como tratar?
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Dor na vagina: 6 fatores que podem provocar o desconforto e como tratar
    Dor na vagina: 6 fatores que podem provocar o desconforto e como tratar
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    O que pode ser a ardência na vagina e como tratar?
    O que pode ser a ardência na vagina e como tratar?
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Coceira na virilha: o que pode ser e como acabar com esse incômodo
    Coceira na virilha: o que pode ser e como acabar com esse incômodo
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Se proteger da candidíase pode ser mais simples do que você imagina. Saiba como!
    Se proteger da candidíase pode ser mais simples do que você imagina. Saiba como!
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • Menstruação
    Menstruação
    Atraso na menstruação: o que pode ser e como ter o diagnóstico correto?
    Atraso na menstruação: o que pode ser e como ter o diagnóstico correto?
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Endometriose pode levar à infertilidade. Ginecologista fala em que faixa etária ela costuma dar sinais e como diagnosticar a doença
    Endometriose pode levar à infertilidade. Ginecologista fala em que faixa etária ela costuma dar sinais e como diagnosticar a doença
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • semprelivre_bottom1_dance_new

  • SE CUIDA!
    Lavar a calcinha no box é ruim? Confira dicas para cuidar de suas roupas íntimas!
    Você costuma lavar a calcinha no box e nem sabe se isso faz mal? Então é bom ficar de o..
  • SE CUIDA!
    Conheça 6 hábitos que podem causar corrimento vaginal e você nem sabia
    Você sabe o que causa corrimento vaginal? Alguns costumes da nossa rotina podem ser os pr..
  • SE CUIDA!
    Marcou consulta com o ginecologista? Listamos 6 coisas que você deve saber antes de ir!
    Uma coisa é certa: ir ao ginecologista pelo menos duas vezes ao ano é fundamental para a..
  • SE CUIDA!
    Você sabe qual é a diferença entre CAREFREE® TodoDia Flexi e CAREFREE® Proteção? Descubra e use os produtos da forma certa!
    Atualmente é comum passarmos o dia todo fora, mas do trabalho até a volta para casa muit..
  • VER TODAS >

    ÚLTIMAS Novidades

  • PRIMEIRA VEZ
    Primeira menstruação: 11 fatos importantes para te ajudar a se preparar para a menarca
    A primeira menstruação, chamada de menarca pela ciência, marca o início da vida...
    Primeira menstruação: 11 fatos importantes para te ajudar a se preparar para a menarca
  • Menstruação
    Absorvente Sempre Livre Adapt Plus proporciona conforto flexibilidade e discrição. Confira!
    Toda mulher merece um absorvente que a deixe confortável e segura sem precisar abrir mão...
    Absorvente Sempre Livre Adapt Plus proporciona conforto flexibilidade e discrição. Confira!
  • Menstruação
    O.B.® Médio ProComfort é a melhor opção para fluxo moderado: conheça os benefícios
    A maneira ideal de escolher o absorvente interno é saber identificar qual é a intensidade...
    O.B.® Médio ProComfort é a melhor opção para fluxo moderado: conheça os benefícios
  • Menstruação
    Cor da menstruação: vermelha, marrom ou preta pode mudar com o tempo?
    Você já deve ter percebido que a cor da menstruação muda ao longo do período menstrual. A...
    Cor da menstruação: vermelha, marrom ou preta pode mudar com o tempo?
  • VER TODAS >