Skip to main content

Header Social Network

SIGA NOSSAS REDES!
Home

Header Right Logoes

INSPIRADO POR:

coceira na vagina, o que pode ser? Veja causas e tratamentos

coceira na vagina, o que pode ser? Veja causas e tratamentos

A Coceira na vagina pode ser provocada por diversas razões, desde uma simples alergia a quadros mais sérios, como infecção vaginal ou DSTs. Quando a coceira vaginal é uma reação alérgica, ela costuma se concentrar mais na área externa e ocorre devido a irritação que pode ser causada por produtos ou substâncias químicas em contato com a vulva. A coceira também pode ser provocada por depilação íntima, uso de absorvente íntimo ou roupas muito apertadas. Entretanto, se o desconforto é dentro da vagina, é provável que esteja associado a quadros de infecção vaginal, causada pela presença de algum agente infeccioso na região íntima, como vírus, fungos e bactérias. Nesses casos, além do prurido, a mulher também manifesta outros sintomas como corrimento, ardência ao urinar e dor durante o sexo.

 

A melhor maneira de prevenir a coceira vaginal é manter uma boa higiene íntima e fazer visitas regulares ao ginecologista, assim como mudar determinados hábitos que causem irritação na região íntima. Até nos casos de coceira mais leve, o incômodo pode causar alterações no ambiente natural da vagina, como desequilíbrio da flora vaginal e desregulação da acidez do pH da região.  Saiba mais sobre o que pode ser coceira na vagina e como identificar e tratar o problema. 

 

6 possíveis causas para coceira na vagina e na vulva

 

1. Alergias 

 

A coceira na vulva costuma ter relação com quadros de alergia ou irritação na pele da região íntima. O incômodo se dá pela reação da pele com substâncias química, muitas vezes presentes em produtos como sabonete, papel higiênico, sabão em pó, cremes, lenços e absorventes. A reação também pode acontecer devido ao mau uso desses produtos, como se limpar com força, exagerar na quantidade de sabonete íntimo durante a limpeza e ficar muito tempo com o mesmo absorvente. O recomendável é não ultrapassar o tempo de quatro horas com o mesmo absorvente, seja ele interno ou externo. 

 

Para evitar a coceira na vulva, é importante ficar atenta aos produtos utilizados na região íntima, principalmente os que têm contato direto com a pele. Dê preferência aos hipoalergênicos, como sabonete íntimo líquido com pH neutro e papel higiênico sem aromatizante e com toque suave. Outra recomendação é  evitar usar lenços umedecidos, cremes hidratantes ou ítens perfumados na região íntima. A vulva e a vagina possuem um cheiro característico, que costuma ser leve e quase imperceptível. Em casos de odor na vagina, não recorra a produtos perfumados para disfarçar ou reduzir o cheiro. Procure um ginecologista para descobrir a origem de possívei odores. 

 

Outra recomendação importante é prestar atenção em resíduos de sabão e amaciante que podem ficar na calcinha após a lavagem. As peças íntimas têm contato direto com a pele da vulva e a forma como a lavamos reflete diretamente na saúde da nossa região íntima. Lave as calcinhas apenas com água corrente e sabão neutro, sem necessidade de recorrer a amaciante. 

 

2. Infecção vaginal 

 

A coceira quando ocorre na área interna, ou seja, no canal vaginal,  quase sempre tem relação com alguma infecção vaginal. Essas infecções ocorrem devido a pela presença de agentes infecciosos, como fungos e bactérias,  e suas causas vão desde higiene íntima inadequada a baixa imunidade. Uma das infecções vaginais mais comum entre as mulheres é a candidíase,  ocasionada pela proliferação exagerada do fungo Candida albicans, que normalmente está presente na flora vaginal saudável, mas em pequenas quantidades . Além da na vagina e na vulva, a candidíase também provoca sintomas como corrimento branco pastoso,  dor durante o sexo, ardência ao urinar, inchaço e vermelhidão na vulva. 

 

A vaginose bacteriana é outra infecção vaginal muito comum que também pode provocar coceira na vagina. Assim como a candidíase, a vaginose ocorre devido ao desequilíbrio na flora vaginal, entretanto, ela é é provocada por bactérias e não fungos. Outra diferença entre as duas infecções, é que a candidíase causa uma coceira mais intensa, enquanto a vaginose bacteriana está relacionada a coceira mais leve e mau cheiro na região íntima. 

 

O tratamento da vaginose bacteriana é feito com uso de antibióticos. A candidíase, por sua vez, é tratada com medicação antifúngica local ou oral.  Nos dois casos, o tratamento costuma durar cerca de sete dias. 


3. ISTs 

 

A coceira vaginal não é um sintoma recorrente de  Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). No entanto, algumas infecções podem provocar coceira tanto na vagina quanto na vulva. É o caso da tricomoníase, infecção provocada pelo protozoário Trichomonas vaginalis, que atinge o órgão genital e pode gerar inflamações que podem atingir a bexiga (cistite) e na uretra (uretrite).  Outros sintomas de tricomoníase incluem corrimento amarelo-esverdeado, ardência  ao urinar e dor nas relações sexuais. 

 

Além da  tricomoníase, doenças como clamídia, herpes, sífilis e gonorreia também podem causar coceira acompanhada da sensação de ardor, sobretudo por conta da presença de lesões, feridas, verrugas e vermelhidão na área genital. 

 

O tratamento de ISTs costuma ser feito com uso de antibiótico e acompanhamento médico. Além disso, para prevenir futuras contaminações, uso da camisinha é indispensável em todas as relações sexuais. 

 

4. Depilação íntima 

 

A depilação íntima, principalmente quando feita com cera ou lâmina, é uma das principias causas de alergia e coceira na vulva. Dependendo da forma como o procedimento é feito, a pele da vulva pode sofrer agressões como cortes, irritação, inflamação, ressecamento e surgimento de foliculite. 

 

Como a pele da região íntima é naturalmente mais sensível, é fundamental não abrir mão de cuidados antes e depois da depilação. Sendo assim, higienize bem a região antes de se depilar e depois do procedimento. Se a sua depilação for feita com lâmina, certifique-se de que a ela está limpa e com o corte preciso. A lâmina “cega” faz com que o pelo não saia por completo e você precise passar a lâmina mais uma vez, agredindo ainda mais a pele. Já a cera, tanto a quente quanto a fria, deve ser descartada logo após o uso. Se você perceber que a coceira na vagina não reduziu mesmo com os cuidados, talvez seja melhor consultar um ginecologista e dermatologista ou até mesmo considerar outro tipo de depilação. 

 

5. Alergia a camisinha 

 

A coceira na vagina após a relação sexual com uso de camisinha pode ser um indicativo de alergia ao látex. O material é usado na composição da maioria das camisinhas masculinas pode causar alergia e irritação no canal vaginal. Uma alternativa para quem tem alergia ao látex é buscar usar preservativos feitos com materiais hipoalergênicos, como o poliuretano. 

 

Também vale a pena prestar atenção ao lubrificante artificial utilizado. Alguns produtos podem provocar alergia no canal vaginal e na vulva. Nos caso de coceira na vagina após o sexo sem o uso de camisinha, o incômodo pode ter origem em alguma infecção já existente. 

 

Veja também: Qual é a diferença entre camisinha masculina e feminina

 

6. Higiene íntima inadequada 

 

A higiene íntima inadequada, ou a falta dela, pode ocasionar quadros de coceira na vaginal. Por isso, o recomendável é que a área seja higienizada duas vezes ao dia e após qualquer relação sexual. Ao se lavar, concentre a limpeza na vulva, incluindo as dobrinhas, os grandes e pequenos lábios, o ânus e a virilha.  Não é necessário fazer a limpeza na parte interna, ou seja, dentro do canal vaginal. Essa prática acaba retirando a proteção natural da vagina e provocar o desequilíbrio do pH vaginal, tornando a região íntima mais sensível e vulnerável a proliferação de microorganismos como fungos e bactérias. 

 

Ao terminar, seque bem a região para evitar a umidade. Quando for vestir uma calcinha, dê preferência às peças feitas de algodão. Elas são mais respiráveis e não causam abafamento da região íntima. O mesmo vale para as calças e shorts. Evite usar calça jeans todos os dias e invista nas roupas mais largas e com tecidos mais leves.  Quanto mais justos e apertados forem essas roupas, mais difícil fica a circulação de ar na área íntima. 

SL_Arroba_turbante_Semprejunta

Symantic Display

  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Corrimento branco: o que pode ser? Veja possíveis causas e tratamentos
    Corrimento branco: o que pode ser? Veja possíveis causas e tratamentos
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Coceira na vagina: causas e tratamentos
    Coceira na vagina: causas e tratamentos
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • Menstruação
    Menstruação
    Menstruação fraca pode ser sinal de ciclo anovulatório. Veja 7 causas para a anovulação!
    Menstruação fraca pode ser sinal de ciclo anovulatório. Veja 7 causas para a anovulação!
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Usar papel higiênico pode fazer mal à saúde da vagina? Veja o que os ginecologistas acham do assunto!
    Usar papel higiênico pode fazer mal à saúde da vagina? Veja o que os ginecologistas acham do assunto!
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SEGREDINHOS DE...
    SEGREDINHOS DE...
    Veja os produtos que não podem faltar no seu nécessaire naqueles dias!
    Veja os produtos que não podem faltar no seu nécessaire naqueles dias!
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Mau cheiro na vagina: o que pode ser?
    Mau cheiro na vagina: o que pode ser?
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    Ardência ao urinar acompanhada de dor. O que pode ser?
    Ardência ao urinar acompanhada de dor. O que pode ser?
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • Menstruação
    Menstruação
    Corrimento marrom escuro: o que pode ser? Conheça as possíveis causas
    Corrimento marrom escuro: o que pode ser? Conheça as possíveis causas
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SE CUIDA!
    SE CUIDA!
    HPV: o que é? Veja causas, sintomas e tratamentos
    HPV: o que é? Veja causas, sintomas e tratamentos
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • SEGREDINHOS DE...
    SEGREDINHOS DE...
    Você sabe o que é melasma? Entenda as causas, sintomas e tratamentos para as manchas na pele
    Você sabe o que é melasma? Entenda as causas, sintomas e tratamentos para as manchas na pele
    icon term
    icon pink
    icon green
    icon blue
  • semprelivre_bottom1_dance_new

  • PRIMEIRA VEZ
    Medo de ir ao ginecologista? Não precisa! Saiba o que esperar de uma primeira consulta
    A primeira ida ao ginecologista gera um certo receio em muitas garotas, mas não há motiv..
  • PRIMEIRA VEZ
    1º dia de aula na faculdade: a blogueira Natalia Salvador contou como encarou o medo e deu dicas de como lidar com essa mudança
    Uma das maiores mudanças do início da nossa vida adulta é a entrada para a universidade..
  • PRIMEIRA VEZ
    5 coisas que ninguém te contou sobre sua primeira menstruação
    A primeira menstruação acontece de forma inesperada, já que, na maioria das vezes a gen..
  • PRIMEIRA VEZ
    Intercâmbio: blogueira Paola Piola conta sobre a 1ª vez que lidou com a independência em outro país
    Fazer intercâmbio é o sonho de muitas adolescentes, principalmente depois dos 18 anos, q..
  • VER TODAS >

    ÚLTIMAS Novidades

  • Menstruação
    5 posições que podem ajudar a aliviar cólica menstrual
    A cólica menstrual é uma consequência das contrações que o útero faz para expelir a...
    5 posições que podem ajudar a aliviar cólica menstrual
  • Menstruação
    Menstruação com cheiro forte é normal?
    A menstruação com cheiro forte é sempre um sinal de alerta. Normalmente, ela está...
    Menstruação com cheiro forte é normal?
  • Menstruação
    Infográfico mostra como acontece a menstruação
    O período menstrual é um processo conhecido por todas as mulheres em idade fértil, ou...
    Infográfico mostra como acontece a menstruação
  • Menstruação
    Menstruação irregular tomando anticoncepcional: o que pode ser?
    A pílula anticoncepcional interrompe a produção hormonal natural da mulher e passa a...
    Menstruação irregular tomando anticoncepcional: o que pode ser?
  • VER TODAS >