Skip to main content

Header Social Network

SIGA NOSSAS REDES!
Home

Header Right Logoes

INSPIRADO POR:

Menstruação

image_icon_white: 
image_icon_pink: 
image_icon_green: 
image_icon_blue: 

Existe alguma restrição para o uso do absorvente interno?

O uso do absorvente interno ainda desperta algumas dúvidas em muitas meninas. Para ir na praia, na piscina, praticar esportes ou até mesmo se você quer se sentir mais confortável, sem nem perceber que está usando, o absorvente interno pode ser a melhor opção. O seu tamanho reduzido também é uma vantagem, já que fica mais fácil de carregar discretamente em uma bolsinha pequena. Basta colocá-lo da maneira correta, que é muito simples, e seguir as instruções. Mas será que existe alguma restrição para o uso desse tipo de absorvente? A ginecologista Carolina Ambrogini respondeu essa questão!


 

Há restrições para usar o absorvente interno?

 

A única restrição que pode existir para o uso do absorvente interno é caso a mulher tenha algum problema envolvendo sua região íntima. “As mulheres que estejam com alguma infecção vaginal ou que tenham alteração anatômica na vagina não devem usar absorventes internos”, afirma a ginecologista.  

 

Muita gente ainda fica com medo de usar o absorvente interno quando ainda é virgem. Mas essa restrição não passa de um mito! Mesmo que a menina não tenha tido relações sexuais, não tem nenhum problema usar esse tipo de absorvente. “Virgindade não é contraindicação, pois o absorvente não rompe o hímen, mas não é recomendado ter relações sexuais com o absorvente interno”, esclarece ela.

 

Quais são as vantagens do uso desse tipo de absorvente?

 

A principal vantagem desse tipo de absorvente, segundo Carolina, é o conforto. Basta saber colocá-lo do jeito certo que você não vai sentir nenhuma dor ou incômodo. A profissional cita outras vantagens. “A possibilidade de entrar no mar ou piscina e praticar atividade física, pois ele é discreto, não marca a roupa e permite total mobilidade para a mulher”, diz. Você não precisa abrir mão de nenhuma atividade quando está menstruada, e o absorvente interno pode ser seu grande aliado para isso.

 

Absorvente interno também é indicado para fluxo intenso?

 

As únicas restrições para o uso do absorvente interno são as infecções e alterações anatômicas, que já foram citadas. “Fora isso, todas as mulheres podem usar, mesmo as que acabaram de menstruar. Nesse caso, sugiro começar com o mini para se acostumarem”, reforça a médica. Para quem tem um fluxo muito intenso, isso também não é um problema, basta optarem pelo tamanho Super e trocá-lo em intervalos mais frequentes.

 

Dra. Carolina Ambrogini - Ginecologista
CRM: 102706-SP

A menstruação vazou fora de casa: meninas contam como driblaram esse momento

A menstruação descer de surpresa, ainda mais fora de casa, é uma situação pela qual quase toda mulher já passou. Principalmente nas primeiras menstruações e ainda não se conhece bem o ciclo, acontecimentos como esses são bem comuns. Algumas surpresinhas também ocorrem de vez em quando, mesmo depois de anos menstruando… O segredo para evitar isso é conhecer bem o seu ciclo e saber o absorvente ideal para o seu fluxo. Para quem gosta de ser bem prevenida, andar com uma absorvente na bolsa também é uma solução. Veja a história de algumas meninas que passaram por essa situação e tiveram que se virar!


Caixinha de doação de absorventes pode ser a salvação

 

Natália Gomes, de 21 anos, conta que normalmente sabe bem o dia em que sua menstruação vai descer porque usa anticoncepcional. No entanto, no dia em que ocorreu o vazamento, ela estava numa fase de alteração da pílula, quando acabava rolando muito escape. Ela estava chegando atrasada para uma aula da sua faculdade de engenharia química, na qual o professor não deixa entrar atrasada, quando sentiu a menstruação descer. Para entrar no bloco onde acontecia sua aula ela precisava mostrar a carteirinha, mas como estava com pressa para ir ao banheiro tentou passar direto. “O segurança me barrou, eu comecei a chorar, tive que explicar para ele que estava menstruada, e só assim ele deixou eu passar”, lembra.

 

Finalmente no banheiro, sua sorte foi uma caixinha de doação deixada pelas mulheres da sua faculdade, para esse momentos em que somos pegas de surpresa. “Lá é comum deixar absorventes como doação, no banheiro feminino. Tem O.B.®, absorvente externo… Até creme dental e outros itens que nós mulheres colocamos”, conta. Ela conseguiu o absorvente e seguiu sua vida. Como nem tudo é perfeito, o professor, no entanto, não deixou mesmo ela entrar na aula!


Arquivo Pessoal
 

As amigas nunca nos deixam na mão

 

Geovanna Daros, de 22 anos, conta que sempre soube o dia da menstruação, usando até mesmo aplicativo para controlar. Ela estava em uma festa na casa de uma amiga quando aconteceu, e já sabia que estava menstruada. “Eu estava com uma roupa meio clara porque achava que não estava muito forte o fluxo - engano meu - e uma blusa jeans amarrada na cintura”, lembra. Ela foi ao banheiro conferir se estava tudo bem ou se já precisava trocar o absorvente quando viu que já tinha ficado manchada. “Fiquei desesperada e chamei algumas amigas para me ajudarem. Comecei a lavar o short na pia mesmo, foi uma bagunça, fiquei toda manchada e acabei indo embora”, conta ela. O pior é que Geovanna afirma que sempre foi prevenida em relação a absorventes e remédios, e anda com eles na bolsa ou mochila. O problema mesmo, dessa vez, foi se enganar com a intensidade do fluxo!


Arquivo Pessoal
 


O casaco amarrado na cintura pode ser a saída perfeita

 

A história da Luisa Bertola, de 21 anos, aconteceu no cursinho pré-vestibular. Desde que começou a tomar anticoncepcional, já sabe mais ou menos o dia que a menstruação vai descer, mas antes era um pouco mais desregulado e ela acabava ficando perdida. “No dia tinha um simulado, e a minha menstruação desceu e eu não tinha absorvente e nem podia pedir pra alguma menina porque era prova”, conta ela. A solução foi terminar a prova assim mesmo. Quando acabou, amarrou um casaco na cintura e foi embora para casa. “Mesmo sendo uma coisa normal e que acontece com todas as mulheres, acabo ficando um pouco constrangida e desconfortável de ficar com a roupa manchada”, diz ela, que conta nunca estar prevenida e sempre precisar pedir socorro para pessoas próximas nessas situações.


Arquivo Pessoal
 

Andar preparada é sempre bom

 

Eduarda Kurtz, de 21 anos, faz uso de pílula contínua, então não costuma menstruar. No entanto, ela conta que algumas vezes em que perdeu a hora ou estava na rua sem a pílula e demorou para tomar, sua menstruação acabou descendo. “Então de fato eu nunca sei quando isso vai acontecer, acabo sempre passando por situações de ser pega de surpresa”, diz ela. Das vezes que isso aconteceu, acabou sendo um fluxo bem pequeno. “Quando eu reparo, tento pegar um absorvente com alguém, uma roupa emprestada se tiver na casa de uma amiga, ou se por acaso vem muito eu volto pra casa.” Esses momentos de surpresa fizeram com que ela se tornasse mais preparada. “Desde que comecei a passar por essas situações de ser pega de surpresa sempre levo absorvente comigo, tenho uma bolsa de colocar absorvente da Sempre Livre® que é uma graça e cabe em qualquer bolsa”, conta.


Arquivo Pessoal

5 coisas que todo mundo já fez secretamente quando estava menstruada

Desde a primeira menstruação até hoje em dia a gente se pega fazendo coisas secretamente quando estamos menstruadas mesmo que, na maioria das situações, não exista nenhum motivo para tanto mistério. Quem nunca conferiu a cadeira ao se levantar? Ou achou que a menstruação havia terminado e arriscou sair sem absorvente, sendo surpreendida logo depois? Todas nós já passamos por alguma situação desse tipo, então não há motivos para ter vergonha ou se esconder quando rolar esse assunto. Dê uma olhada nessa lista e responda mentalmente se já aconteceu com você!


1. Esquecer de levar um novo absorvente para o banheiro e teve que dar uma corridinha para buscar

 

Sabe quando você vai ao banheiro para fazer um xixi inocente e percebe que está na hora de trocar o absorvente? Mas aí, você não levou o item de higiene com você… Nessas horas, quem nunca deu aquela corridinha silenciosa (para ninguém ver) até o quarto para buscar o absorvente? Já rolou! :P



 

2. Ficou com os pelinhos pubianos presos na parte adesiva do absorvente

 

Por falta de conhecimento, muitas meninas passam por essa situ na adolescência, normalmente na primeira menstruação. Às vezes, por falta de costume ou explicação, a menina não encaixa o absorvente corretamente na calcinha e ele acaba grudando na pele ou nos pelos pubianos. Acontece, né? Por isso, é legal estimularmos outras mulheres e explicarmos mais sobre o que é menstruação e como lidar com esse período desde cedo. Evitando, assim, que as meninas inexperientes passem por situações como essa com seu absorvente e fluxo menstrual.




 

3. Pediu discretamente para a amiga dar uma conferida na sua roupa ao se levantar

 

“Amiga, vou levantar, dá uma olhadinha para mim?”, essa frase é um clássico das boas amizades e podemos até considerar que é um dos atos mais antigos de sororidade feminina, antes mesmo de termos conhecimento do significado da palavra. Toda menina já fez isso secretamente falando em sinais com a amiga. Continuaremos de olho umas pelas outras!



 

4. Conferiu cada cadeira ao se levantar

 

As meninas com fluxo intenso vão se identificar rapidamente com esse item. Essa olhadinha discreta a cada vez que levanta do banco do carro ou de uma cadeira é uma mistura de pânico em alívio em poucos segundos. Escolher um absorvente com alta capacidade de absorção é a primeira coisa que você deve conferir se está acertando. Além disso, trocas de absorventes mais frequentes vão te deixar mais segura nessas situações. ;)



 

5. Arriscou sair sem absorvente e se deparou com um borrão na calcinha em seguida

 

Do início ao fim da menstruação, o fluxo passa por variações de volume. Por isso, ele vai reduzindo a cada dia até virar um borrãozinho, que pode te pegar de surpresa quando você achou que já tinha acabado e saiu de casa sem nenhuma proteção na calcinha. A nossa dica para não precisar mais passar por essa situação e manchar sua peça íntima é utilizar um protetor íntimo adequado para o finalzinho do fluxo menstrual. E claro, sempre leve mais um extra na bolsa com você!


10 tweets sobre cólica para você se sentir abraçada e que não está sozinha nessa

Um dos principais sintomas da TPM, a cólica, ou melhor, as reclamações sobre a cólica unem todas as mulheres no período menstrual. Acredite, minha amiga, você não é a única que faria um textão no SAC do corpo humano sobre esse sintoma que nos incomoda todo mês. Para provar que você não está sozinha nessa, fizemos uma seleção com os 10 melhores comentários sobre cólica no Twitter.


1. Dormir com cólica nunca foi uma opção

 



2. Parabéns, você tirou a figurinha brilhante do álbum

 



3. Vacilo, ouviu útero

 



4. É aquele ditado né

 



5. Eis a questão

 



6. Imagens fortes

 



7. O Brasil que a gente quer 

 



8. Nos ajude, Lázaro

 



9. Mataste quem te aguentou

 



10. É pavê ou pacumê?

 

Passar muito tempo com o mesmo absorvente prejudica a saúde íntima. Entenda!

Para quem tem um fluxo mais leve, lembrar que já está na hora de trocar o absorvente pode ser um pouco mais difícil. O mesmo acontece quando estamos no comecinho ou já no final da menstruação. No entanto, o tempo que passamos com absorvente é um fator ao qual devemos prestar atenção, pois caso se torne muito longo pode trazer prejuízos para a saúde da nossa região íntima. “Infecções, candidíase e ressecamento e feridas estão entre eles”, lista a ginecologista e obstetra Camila Ramos. Entenda melhor esse risco e fique atenta o seu tempo de troca!

 

Por que passar muito tempo com o mesmo absorvente prejudica a saúde íntima?

 

“No caso do absorvente externo, passar tempo demais pode causar irritação ou coceira na pele da vulva”, esclarece a profissional. Ela cita também que o mau cheiro ainda pode ser uma outra consequência, caso se espere tempo demais para realizar a troca.

 

Já no caso do absorvente interno, segundo a ginecologista, passar tempo demais com o mesmo pode trazer infecções devido ao acúmulo de sangue na região íntima. “Além disso, essa demora pode provocar mudança de pH vaginal, podendo desencadear candidíase, por exemplo”, diz ela. O tempo recomendado por Camila nesse caso é de 4 horas de uso, mesmo que o fluxo menstrual não seja muito intenso.

 

É importante lembrar que essa questão do fluxo deve influenciar na hora de escolher qual tipo de absorvente usar. Existem tamanhos recomendados para fluxos leves, médios e até os mais intensos. Não importa qual seja o tipo escolhido, o tempo de troca deve sempre ser respeitado.

 

Quais são os cuidados indicados para o período menstrual?

 

Ter atenção com a saúde e higiene íntima é um hábito que deve estar sempre presente no nosso dia a dia. Durante o período menstrual, alguns cuidados extras podem ser tomados, para que estejamos sempre confortáveis e para evitar qualquer tipo de problema. “Boa higiene, trocar o absorvente com frequência e se hidratar”, são as principais dicas listadas pela profissional. Os cuidados com a alimentação também podem ser aliados nesse momento, evitando alguns sintomas como a cólica, que podem aparecer nesse período do ciclo.

 

Será que você faz a sua troca no tempo certo? Preste atenção para não exagerar na espera e em caso de dúvidas entre em contato com a sua ginecologista.

 

Camila Ramos, ginecologista e obstetra da Policlínica Granato

CRM: 5295691-0

Dormir fora ou ir à praia: por que mulheres ainda mudam seus hábitos quando estão menstruadas?

Você sabia que 67% das meninas brasileiras se sentem desconfortáveis enquanto estão menstruadas? No mundo todo, metade delas se sentem assim. Esses dados foram revelados por uma pesquisa realizada pela KYRA Consultoria, em parceria com a marca Sempre Livre, e refletem o grande tabu que existe em relação à menstruação ainda nos dias de hoje. Esse incômodo faz com que muitas deixem de realizar atividades simples do dia a dia. Entenda melhor o motivo disso acontecer e por que devemos buscar mudar essa situação!


 

A maior parte das brasileiras modifica seus hábitos quando está menstruada

 

Dormir fora, ir à praia, praticar esportes… Você deixa de lado essas práticas durante seu período menstrual? Caso a resposta seja sim, você não está sozinha. Mais da metade das meninas brasileiras mudam seus hábitos durante a menstruação. A pesquisa mostrou que 74% dessas garotas deixam de ir à piscina, 47% deixam de dormir fora de casa e 66% não praticam esportes enquanto estão menstruadas. Mas será que você precisa mesmo mudar os seus hábitos?

 

Não, você não precisa interromper essas práticas

 

Deixar de praticar nossos hábitos diários ou atividades que se gosta porque está menstruada é uma situação que já deveria estar no passado. Para ir à praia ou piscina, por exemplo, basta usar um absorvente interno. Você pode entrar com ele na água sem nenhum mistério! É só seguir as instruções, colocando no lugar certo e trocando no tempo recomendado, que você pode curtir seu momento refrescante sem se preocupar.

 

O mesmo vale em relação a dormir fora de casa. É só escolher o absorvente mais adequado para o seu fluxo, que os vazamentos serão evitados. Outra dica é investir no absorvente com abas na hora de dormir, para uma maior segurança. Além disso, a prática de esportes também não deve ser deixada de lado nesse momento. Você não precisa mudar seu treino na academia ou deixar de se exercitar por causa da menstruação. Basta saber respeitar os seus limites e escolher o melhor produto que te deixe protegida! Caso você esteja se sentindo um pouco mais fraca, é só diminuir a intensidade.

 

Por que ainda mudamos os nossos hábitos nesse período?

 

Portanto, não precisamos alterar nossas atividades diárias ou mudar nossos hábitos só porque estamos menstruadas. Mas então, por que será que tantas mulheres, no Brasil e no mundo ainda sentem essa necessidade? Isso tem muito a ver com o tabu que ainda envolve o tema menstruação. Desde muito tempo, diversos mitos e crenças foram e ainda são usados para propagar a ideia de que menstruar é algo sujo ou vergonhoso. Nós já sabemos que essa ideia não é verdadeira, mas ainda temos dificuldade em abandonar os velhos conceitos.

 

Também foi reconhecido na pesquisa que quase metade das meninas brasileiras evitam sair de casa durante o período menstrual. E pior, uma em cada 10 regularmente faltam a aula quando estão menstruadas! Esse tabu pode trazer prejuízos sérios para nós mulheres… E já está na hora de acabar com ele. Prestar atenção nessas pequenas atitudes no nosso dia a dia já é um primeiro passo para a mudança!

Conheça a linha O.B® ProComfort™: o conforto duradouro que você precisava!

Quem usa absorvente interno já deve saber o quanto O.B® oferece liberdade, conforto e proteção discreta para as mulheres no período menstrual. A sensação ao usá-lo é de como se você estivesse sem absorvente, porém, com proteção segura. Com formato pequeno e que se adapta ao seu corpo, o item de higiene íntima possui canais curvos que direcionam o fluxo menstrual para dentro do absorvente, garantindo máxima proteção. Mas os benefícios não param por aí. Você sabia que existe uma linha com uma tecnologia pensada para facilitar a colocação e retirada do produto? Veja a seguir.

 

Conheça os benefícios da linha O.B® ProComfort™

 

A linha ProComfort™ torna sua experiência com O.B® ainda melhor! Com exclusiva cobertura SilkTouch™, o absorvente interno desliza melhor para facilitar a colocação e a retirada. A linha também conta com tecnologia de canais curvos que absorvem o fluxo para dentro do produto, proporcionando mais segurança contra vazamentos. Essa versão está disponível em embalagem de 8 unidades.
 

Como colocar O.B.®? Aprenda com o passo a passo e vídeo!

 

Uma dica muito importante quando for colocar o absorvente interno é seguir direitinho as instruções no folheto que vem dentro da embalagem. Além disso, também recomendamos lavar as mãos antes de manusear o produto e, claro, encontrar uma posição que seja confortável para introduzir o item. Em pé, com uma perna apoiada em um lugar mais alto, com as pernas separadas e flexionadas ou  sentada com os joelhos separados costumam ser as mais fáceis. Teste essas possibilidades para descobrir qual é a melhor para você. :)

 

Abra o produto com cuidado:

 

1°. Com as mãos limpas, retire a parte de baixo do plástico protetor de O.B.® puxando a fita colorida central;

2°. Estique o cordão azul e comprove sua resistência;

3°. Gire o cordão em movimentos circulares para abrir a base de O.B.®;

4°. Assim que a base estiver mais aberta, encaixe seu dedo indicador nela;

5°. Com o dedo indicador já encaixado na base de O.B.®, remova a parte de cima do plástico protetor.

 

Relaxe para facilitar a colocação!

 

1°. Com a mão que está livre, abra delicadamente os lábios da vagina, colocando a ponta do O.B.® na abertura;

2°. Bem relaxada, empurre o produto devagar até a vagina, usando todo o comprimento do dedo indicador. Pronto! :)

 

Este vídeo também pode te ajudar!

 

“Nosso Corpo, Nosso Sangue”: SEMPRE LIVRE® e FOX Lab lançam documentário sobre menstruação

Você já pensou algum dia em fazer as pazes com a sua menstruação? O documentário “Nosso Sangue, Nosso Corpo”, apresentado pela marca SEMPRE LIVRE® e produzido pelo FOX Lab, te faz um convite a mudar essa relação. Com estreia marcada para 17 de agosto de 2018, às 15h, no canal FOX, o doc acompanha cinco garotas, de diferentes países, em espaços já ocupados por elas como a escola, casa, balada e redes sociais, dando espaço para diálogos abertos sobre menstruação entre meninas da geração Z (nascidas de 1990 a 2010).


 

 

Sempre Livre e você: vamos juntas criar uma comunicação natural sobre menstruação?

 

O propósito do documentário é criar uma comunicação mais natural sobre a menstruação com garotas dessa geração, por meio de personagens que se diferem em cultura, experiências e classes sociais, e que abordam também outros assuntos do universo feminino como sexualidade, crenças, família e progresso feminino. Para Wladimir Winter, diretor do FOX Lab, é muito importante criar espaço para expor assuntos que possam de alguma maneira contribuir para a transformação do papel da mulher na sociedade. “Estamos muito felizes em ter como parceira uma marca que acredita neste propósito e coloca a mulher sempre em primeiro lugar”, diz.

 

Parte da campanha de nosso novo posicionamento global, Sempre Juntas, o documentário contribui para naturalizar a conversa sobre a menstruação, mostrando que o tema é universal, não importa a cultura, o país, crenças ou contexto social. “Pode, também, mobilizar e conectar as mulheres em todos os lugares do mundo que menstruam e que passam por processos físicos e emocionais similares”, afirma José Cirilo, diretor de Marketing da Johnson & Johnson Brasil.

 

O elenco girl power mistura diferentes culturas e vivências

 

O elenco do doc é composto por cinco meninas, a brasileira Natália; 13 anos, a argentina Candela Abril, 18; a indiana Aranya Johar, 18, e as sul-africanas; Luciana Fasani, 19, e Michelle Williams, 18. Michele sonha em ser atriz, mas não quer deixar a comunidade, pois pretende ser um dos principais agentes de mudança para seu bairro, na África do Sul.

 

A argentina Candela foi suspensa de uma escola de Buenos Aires por ter colado absorventes pintados de vermelho na lousa. “Na escola, é normal menstruarmos ao mesmo tempo e pedirmos absorventes às colegas. Um dia, um dos nossos colegas viu, e disse: ‘Que nojo. Por que estão tirando isso aqui?’ Então decidimos pintar os absorventes de purpurina vermelha e colar todos na lousa. Não foi minha primeira suspensão”, conta.

 

A indiana Aranya é poeta e utiliza o estilo “slam” para expressar suas questões sobre gênero, as quais lida diariamente no ambiente em que vive. Em um dos seus poemas mais famosos, ela defende que as mulheres deveriam menstruar sentindo-se orgulhosas. Ela é uma ativista marcante em eventos, palestras e concursos de poesia. “Eu sempre quis ser mulher… me imaginar da mesma forma que as mulheres que eu admiro”, diz.

 

Luciana, sul-africana, tem uma relação mística com o corpo. Em uma das cenas, segura uma lua na praia, à noite. “Uso a lua como uma forma de me reconectar com a natureza e os ciclos naturais. Gosto de chamar a minha menstruação de minha lua. Quando é lua cheia, tudo está em sua energia máxima”. Para ela, aceitar o próprio corpo é essencial. “Não sei por que tem tanta vergonha; porque é natural. É uma função do corpo”, diz.

 

A mais jovem da turma, Natália quer ser modelo de fama internacional e se define como digital influencer. Mora com a avó e com a irmã mais velha, e sua relação com o corpo passou pela aceitação e orgulho de sua cor de pele. Ela defende a quebra de alguns tabus como: menstruação, feminismo e discriminação racial. Para a brasileira, a primeira menstruação não foi fácil, mas hoje ela fala abertamente sobre o tema. “Minha primeira menstruação foi assustadora. Agora, me considero uma deusa”.

 

‘Nosso Sangue, Nosso Corpo’ estreia no canal Fox

 

O documentário inicialmente será veiculado no canal FOX, para países da América Latina: Brasil, Argentina, Equador, Peru, Paraguai e Uruguai. Além da estratégia de transmissão na TV, estão previstas ações em digital com influencers, com o lançamento da landing page do filme www.nossosanguenossocorpo.com, e veiculação no YouTube do canal FOX.

Entenda a diferença entre a cólica primária e a cólica secundária!

A cólica é uma conhecida da maioria das mulheres durante o período menstrual. Para algumas ela vem mais forte, para outras, de forma mais leve, e pode aparecer antes ou durante a menstruação. O que pouca gente sabe é que existem dois tipos de cólica, com diferentes origens: a primária e a secundária. Já ouviu falar nesse assunto? O Só Delas conversou com a ginecologista Andreia Gozzi, que esclareceu a diferença entre elas. Saiba mais e confira em qual delas o seu caso se encaixa!


 

Cólica primária e cólica secundária: entenda cada uma delas

 

Aquelas familiares dorzinhas que surgem na parte abdominal são o que conhecemos como cólicas. Dependendo da intensidade, ela pode até mesmo irradiar para outras partes do corpo... O tipo mais comum é aquela chamada de cólica primária, que é um fenômeno natural. “É a que a maioria das mulheres têm, que se dá pela contração dos músculos da parede do útero pela liberação de prostaglandinas, que são fatores inflamatórios, na circulação sanguínea”, explica a ginecologista. Já a cólica secundária, por sua vez, tem a origem decorrente de alguma patologia uterina. Entre as causas mais comuns estão os miomas, a adenomiose e a endometriose.

 

Como diferenciar os sintomas de cada uma?

 

A diferença entre os dois tipos de cólica pode ser um pouco sutil, mas é importante identificá-la para saber o que está acontecendo no seu corpo. A cólica primária normalmente é mais leve e passa rapidamente com o uso de um analgésico comum ou anti-inflamatório. “A mulher normalmente já tem este histórico e sabe até quais os dias do ciclo que ela mais sente cólica”, afirma Andreia.

 

Já a cólica secundária tem como característica começar a partir de uma fase específica e normalmente mais tardia da vida da mulher. Mesmo que ela aconteça durante a adolescência, se destaca por causar um desconforto maior. “Ela é muito mais forte e com mais resistência aos analgésicos comuns”, esclarece a profissional.

 

Quais são os tratamentos para cada tipo de cólica?

 

“As cólicas podem ser tratadas com analgésicos, antiespasmódicos e anti-inflamatórios”, recomenda a ginecologista. De acordo com o tipo de cólica e a sua resistência, podem ser usados dos mais simples aos mais potentes. Dependendo de qual for a causa, no entanto, recomenda-se realizar um tratamento específico para o quadro em questão. Por isso é importante sempre conversar com seu ginecologista, ele vai saber identificar qual a melhor indicação para o seu caso!

 

Dra. Andréia Gozzi, ginecologista do Instituto Lerner
CRM: 153790

Pages

Latest News

  • Esportes que são a cara do verão! Prepare-se para novas experiências nessa temporada
    Dias ensolarados, altas temperaturas e horário de verão. Para completar, ainda temos os...
  • A água salgada "corta" a menstruação quando entramos no mar?
    A relação entre menstruação e praia gera dúvidas em muitas mulheres. É claro que não há...
  • Estou com um corrimento marrom: o que pode ser e como devo tratar?
    Secreção vaginal ou corrimento? Eis a questão que deixa muitas meninas com dúvidas. Para...
  • Posso engravidar se eu tomar o anticoncepcional atrasado?
    Eita! Passou a hora de tomar a pílula anticoncepcional e você nem percebeu. “Se eu tiver...
  • Transpiração na região íntima: como conter o desconforto?
    Sim. Transpiração na vagina é algo completamente natural e todas têm! O suor na região...
  • Desvendamos 5 mitos sobre menstruação no verão!
    Quer aproveitar o verão ao máximo, mas está preocupada com os dias de menstruação? Pode...
  • Posso entrar na água de absorvente interno? Consultamos uma ginecologista para saber!
    Você não precisa deixar de aproveitar seu dia de sol porque está menstruada. A solução da...
  • Com que frequência você troca o sutiã? Veja cuidados importantes durante o verão para...
    Para muitas meninas, o sutiã é uma peça de uso diário. Por mais discreto que seja, ele é...
  • SEMPRE LIVRE® Adapt Plus se adapta ao seu corpo e te deixa mais segura e confortável na...
    Já se foi o tempo em que a menstruação era vista como algo negativo na vida das mulheres...
  • 5 frases de mulheres extraordinárias para inspirar um pouco o seu dia
    Empoderamento feminino, autoestima, sororidade... Esses são alguns dos termos mais...
  • Pílula combinada: saiba mais sobre seus benefícios e quem deve usá-la
    Blim, blim! É 9 horas da noite e toca o alarme: “Hora de tomar a pílula”, pensa a menina...