Skip to main content

Header Social Network

SIGA NOSSAS REDES!
Home
A comunidade das mulheres que se sentem confiantes todos os dias (mesmo naqueles dias)

Header Right Logoes

INSPIRADO POR:

Menstruação

image_icon_white: 
image_icon_pink: 
image_icon_green: 
image_icon_blue: 

Quando uma menstruação é considerada fora da normalidade? Apontamos as principais características

O ciclo menstrual pode sofrer algumas alterações ao longo dos anos, porém, é preciso ficar atenta a essas mudanças, pois podem representar a influência de algum fator externo ou pode ser um sinal de que algo não vai bem com a saúde íntima. Por isso, é importante saber quais são as condições de uma menstruação considerada normal e os motivos que podem provocar certas alterações.


 

O que é considerada uma menstruação normal?
 

Para a ginecologista Mariana Conforto, podemos considerar um sangramento cíclico normal aquele que acontece a cada 28 a 35 dias, dependendo da variação de dias para cada mulher. Além disso, a duração do fluxo menstrual também é uma característica a se observar. A médica esclarece que um fluxo dentro da normalidade tem duração de 2 a 6 dias e um sangramento moderado, chegando por volta de 80ml por dia.

 

“É possível perceber quando a menstruação está fora do padrão quando o intervalo entre as menstruações fica curto demais ou longo demais, ultrapassando essa faixa de 28 a 35 dias”, aponta a especialista. O fluxo menstrual aumentado também pode ser um indicador de ciclo alterado.
 

O que pode causar anormalidade na menstruação?

 

Diversos fatores podem influenciar o ciclo menstrual e causar o desequilíbrio que torna a menstruação uma caixinha de surpresas. Estresse intenso, disfunções da tireóide, distúrbios hormonais, miomas, uso de antibióticos e outros medicamentos, troca do anticoncepcional, sobrepeso, entre outros motivos. Portanto, manter os exames em dia e ter acompanhamento de um ginecologista é de extrema importância.
 

Como descobrir se minha menstruação está normal ou não?

 

Tudo é uma questão de observação e conhecimento do seu ciclo menstrual. Se você nunca se atentou muito a isso, um bom hábito para adicionar em sua rotina é manter uma agenda de registros da sua menstruação. Hoje em dia é possível fazer isso até em aplicativos de celular que ajudam a controlar o ciclo. O mais importante é que você consiga perceber quando sua menstruação está apresentando características diferentes com certa frequência, como dias de chegada diferentes todo mês, fluxo mais intenso do que no último mês e uma duração maior do que o normal (entre 2 a 6 dias).

 

Dra. Mariana Conforto - Ginecologista e obstetra da Perinatal.
CRM: 5296454-9

4 motivos ilustrados com gifs que vão explicar como a menstruação faz das mulheres ainda mais poderosas

Por mais que muita gente nos faça crescer acreditando que menstruação é algo sujo e ruim, com o passar do tempo a gente descobre a força significativa que isso tem na vida das mulheres. Se você ainda não acredita nisso, nós trazemos aqui 4 motivos que comprovam o quanto o ator de menstruar faz das mulheres ainda mais poderosas!


 

Na adolescência, menstruar significa que estamos amadurecendo!

 

A menstruação é um sinal de que nosso sistema reprodutor está amadurecendo. Com isso, o corpo também muda e a menina começa a ter mamas maiores, pelos pelo corpo, quadris mais largos e algumas até chegam a ter um crescimento rápido, conhecido como estirão.

 

As mudanças não são somente biológicas. Também acontece um amadurecimento psicológico para muitas meninas na fase da puberdade. É comum, inclusive, as meninas começarem a largar hábitos da infância nessa época. Algumas passam a não ver mais graça em brincar de boneca, por exemplo, e muitas vezes também começa a despertar interesse pelos meninos nessa idade. E tudo isso normalmente acontece entre os 10 e 15 anos, quando os rapazes nem sonham em amadurecer. Então, sabe aquela história de que as mulheres amadurecem mais cedo? É verdade!




 

A menstruação faz a gente conhecer melhor o corpo

 

A menstruação faz com que a gente crie uma relação mais íntima com nosso corpo. Ou pelo menos deveria. A partir dela que conseguimos descobrir quando começa e termina nosso ciclo menstrual, e quando acontece o período fértil, nos ajudando a controlar os dias nos quais podemos engravidar. Dessa forma, é possível se preparar para tentar engravidar ou evitar a gravidez com métodos contraceptivos.




 

Ficamos mais cuidadosas com a saúde

 

Depois da menstruação nossas visitas ao ginecologista passam a ser mais regulares. Fazemos o preventivo para verificar se está tudo certo com o útero e ainda atualizamos outros exames laboratoriais importantes pelo menos uma vez ao ano. A dedicação às atividades físicas também é muito importante para não cair no sedentarismo e até mesmo para trazer melhorias à saúde geral e menstrual. Estudos mostram que as mulheres que praticam exercícios com alguma regularidade têm menos queixas de distúrbios e sintomas da TPM comparadas as que  não praticam nenhuma atividade.



 

Menstruar também é empoderamento!

 

Já parou para pensar o quanto menstruar é total girl power? Nós temos o poder de conhecer nosso ciclo menstrual e ter controle sobre ele, o que é muito saudável e fundamental para saber como o corpo funciona.
 

Quanto tempo leva para a menstruação ficar regular na adolescência?

Após a menarca, que acontece normalmente entre os 12 e 15 anos, muitas meninas observam uma certa irregularidade na menstruação. Na adolescência, alguns fatores podem influenciar no ciclo hormonal alterando os período mensais. Sendo assim, a chegada do fluxo em dias diferentes a cada mês, atrasos e duração variável do fluxo menstrual são algumas das características que marcam os primeiros anos após a primeira menstruação. Conversamos com uma ginecologista para entender por que isso acontece.


 

Regularidade da menstruação

 

Você sabe dizer se sua menstruação é regular ou não? Se não sabe, nós explicamos: a menstruação é considerada regular quando apresenta duração e intervalo minimamente definidos. Dessa forma, é considerado normal ter um fluxo menstrual de 3 a 7 dias com intervalo de 28 a 40 dias. Mas essa é só uma média, cada mulher possui um ciclo menstrual.

 

É comum ter a menstruação irregular na adolescência

 

Segundo a ginecologista Camila Ramos, é comum que, após a menarca (primeira menstruação), os ciclos sejam irregulares pela imaturidade do eixo hipotálamo-hipófise-ovário. “Após a menarca acontecem ciclos anovulatórios (que a mulher não ovula) devido à interação inapropriada desses 3 órgãos e seus mecanismos de feedback”, explica.

 

Após a chegada da menarca, o ciclo da adolescente pode levar aproximadamente dois anos para ser normalizado. “Caso a adolescente não tenha seu ciclo regular depois desse período é necessário fazer uma avaliação com um ginecologista para pesquisar distúrbios hormonais que possam estar afetando a paciente”, acrescenta a médica.

 

Sintomas que podem aparecer junto com a irregularidade

 

Além da irregularidade na menstruação, nos primeiros anos da adolescência também é comum o período menstrual trazer sintomas relacionados à TPM, como cólicas, dor de cabeça, náuseas, irritabilidade, entre outros. Para o ginecologista Ricardo Barbosa Diniz, quando estes sintomas são aumentados ou quando o fluxo menstrual é muito intenso é preciso ficar atenta, pois pode levar a quadros graves de anemia e exigir algum tipo de tratamento e acompanhamento médico específico.

 

Camila Ramos, ginecologista e obstetra da Policlínica Granato

CRM: 5295691-0

 

Dr. Ricardo Barbosa Diniz – CRM: 83689| Diretor Clínico do Hospital América de Mauá

| Coordenador do serviço de Ginecologia e Obstetrícia

Menstruação é um papo que rola no seu grupo de amigas? Veja como esse hábito pode trazer grandes aprendizados entre vocês

Quando você e seu grupo de amigas se juntam, sobre o que conversam? Maquiagem, aquela última festa do fim de semana ou sobre o rolo de alguma de vocês com aquele crush que não sabe o que quer... É uma infinidade de assuntos, né? Mas e sobre menstruação e seus temas relacionados, vocês falam? Talvez você esteja se perguntando por que falaria disso com as amigas, mas a verdade é que, além de importante, debater o tema pode trazer aprendizados enormes entre vocês e ajudar no dia a dia. Veja por quê!


 

Vocês podem indicar um bom ginecologista

 

Você nunca se sentiu muito confortável numa consulta ginecológica e, talvez, seja porque ainda não encontrou aquele profissional “alma gêmea”, sabe? Ao conversar com suas amigas sobre isso, alguma delas pode ter aquela ginecologista que ama e te indicar para você ir também. Quem sabe vocês até marcam a próxima consulta para o mesmo dia e podem ir juntas, dando aquele apoio moral uma à outra.

 

Compartilhar sobre histórias de TPM pode aliviar, inclusive, seus sintomas

 

A sua TPM sempre chega causando mudanças enormes em você: estresse, indisposição ou o clássico desejo por muitos doces. Depois que ela passa, ao compartilhar esses momentos com suas amigas vocês acabam caindo na gargalhada por perceber histórias compatíveis e perceber que não, você não é a única a passar por isso. Aí, alguém pode contar suas táticas para driblar esses momentos e servir de inspiração para as outras fazerem o mesmo. No fim, dá para rir de tudo isso e levar a TPM de forma mais leve da próxima vez.

 

Você descobre que um absorvente é muito mais do que com abas e sem abas

 

Quando você foi comprar seu primeiro absorvente, talvez nunca parou para analisar as opções e simplesmente pegou o primeiro que viu. Virou costume e você passou a usar sempre o mesmo, sem saber que existem características especiais em cada um e que podem fazer toda a diferença nos seus dias de fluxo. Absorvente não se diferencia apenas por conter ou não abas, mas existem também tipos de cobertura (suave e seca) que quando você descobre a sua, tudo fica até melhor.

 

Existem também os absorventes externos com 3 tipos de tamanho (mini, médio e super), desenvolvidos para cada tipo de fluxo menstrual. Quando esse papo rola entre amigas, vocês descobrem as diversas possibilidades e, acredite, sempre vai existir aquele que se encaixa melhor com você. Na próxima vez que for comprar, você vai analisar bem todos os itens antes de escolher. Na dúvida, converse também com seu ginecologista para indicações.

Você é ansiosa? Saiba como esse sentimento pode afetar seu ciclo menstrual

O ciclo menstrual é facilmente influenciado por fatores emocionais. Situações de desequilíbrio podem causar alterações hormonais e consequentemente provocar o atraso ou a irregularidade do fluxo menstrual. A ansiedade é uma das causas mais comuns, portanto, é preciso se observar antes de buscar recursos médicos. A menstruação atrasada ou irregular, que normalmente assusta muitas mulheres, nem sempre é sinal de gravidez.

 

A ansiedade pode desregular o ciclo menstrual

 

Já percebeu se em algum momento de muita ansiedade, espera por algum objetivo e estresse sua menstruação atrasou ou nem sequer apareceu? Segundo a ginecologista Andreia Gozzi, isto pode ocorrer devido ao impacto que a condição psicológica da mulher tem sobre o organismo: ”Um estresse exacerbado ou até mesmo uma crise de ansiedade mais forte podem afetar a liberação do principal hormônio (GnRH), que regula o ciclo menstrual, podendo ocorrer o atraso e até a irregularidade da menstruação”, explica.
 

Para não restar dúvidas, a médica destaca a necessidade de estar com todos os seus exames ginecológicos em dia e ter acompanhamento regular, principalmente para mulheres com quadros de crises de ansiedade e depressão. “Existem inúmeras causas para o atraso menstrual. Quando este é maior do que 3 meses deve ser investigado de maneira mais específica”, diz.

 

Como fazer a menstruação regularizar novamente?

 

Se ocorrer um atraso fora do normal, observe se sua rotina está muito exaustiva e busque formas de desacelerar. Encontrar atividades que proporcionam prazer para você é uma alternativa rápida de fazer seu corpo voltar a relaxar.

 

No caso de pacientes com diagnóstico de ansiedade generalizada, a médica afirma que é necessário um tratamento medicamentoso e o acompanhamento de um psicólogo: “Com certeza tudo isso agregado vai ajudar também na regularidade menstrual”, acrescenta.

 

Dra. Andreia Gozzi, ginecologista do Instituto Lerner
CRM: 153790

O que fazer se minha menstruação não descer até os 16 anos?

A idade da primeira menstruação é variável para cada uma. No entanto, geralmente o processo de amadurecimento dos órgãos reprodutores femininos acontece entre os 10 e 15 anos, quando a menina entra na fase da puberdade e passa por mudanças biológicas e psicossociais. Neste período também é notável o desenvolvimento das mamas, pelos pubianos e nas axilas, quadris mais largos e mudanças na voz. Porém, também há casos de meninas de 16 anos que ainda não tiveram a menarca. Nesta situação, o que deve ser feito? Conversamos com uma ginecologista sobre o tema.

 

A chegada tardia da menstruação pode ser influenciada por fatores genéticos, metabólicos e ambientais. Sendo assim, pode ter ocorrido uma simples variação na chegada da menarca ou algum reflexo patológico. Devido aos estímulos ambientais de hoje em dia, a menstruação acontece cada vez mais cedo. Porém, em gerações mais antigas era comum a menina menstruar com 16 anos.

 

O que fazer se minha menstruação não descer até os 16 anos?

 

De acordo com a ginecologista Camila Ramos, se isto for uma preocupação para a menina ou para a mãe, o caso pode ser avaliado por um médico: “É preciso observar se ela já teve o desenvolvimento de mamas e pelos pubianos (características sexuais secundárias) e fazer avaliação de dosagens hormonais”, diz. Estas características fazem parte do processo de puberdade da menina e indicam se a menstruação está chegando.

 

Para a médica, também deve-se investigar também possíveis causas de menstruação tardia devido à doenças crônicas como celíaca (intolerância à ingestão de glúten) e anemia falciforme. “Caso não se encontre a causa, o médico pode solicitar uma investigação mais aprofundada com cariótipo (avaliação genética)”, acrescenta.

 

Camila Ramos, ginecologista e obstetra da Policlínica Granato - CRM: 5295691-0

Menstruei muito pouco comparado a outros meses. O que pode ser?

Todo mês as mulheres passam pelo período menstrual e, muitas vezes, percebem que o volume do fluxo variou de um mês para o outro. Apesar de nos deixar em alerta, provando que conhecemos bem nossa menstruação, nem sempre isto representa algum problema de saúde íntima. Às vezes a diminuição do fluxo tem uma causa pontual. Conversamos com uma ginecologista para saber por que isto acontece.


 

É normal o volume do fluxo menstrual variar a cada mês?
 

Para a maior parte das mulheres o ciclo menstrual é parecido em todos os meses, tanto em duração como em volume de sangramento. O mais comum é uma duração de 21 a 35 dias, com sangramento entre 3 e 7 dias. Segundo a ginecologista Lívia Migowski, pontualmente as mulheres podem experimentar mudanças nesse padrão quando estão estressadas, sofrendo alteração no padrão de sono, atividade física mais intensa ou por início de alguma medicação que possa interferir no ciclo menstrual, principalmente hormônios ou antidepressivos.

 

No entanto, ela destaca que o que é patológico e que merece ser investigado com cautela pelo ginecologista é quando os ciclos se tornam irregulares: “Nesses casos podemos encontrar mulheres com problema na tireoide, aumento da prolactina e até mesmo a síndrome dos ovários policísticos, doenças que demandam tratamento específico”, alerta a médica.

 

Quais fatores que podem afetar o volume da menstruação?
 

Para a médica, a queixa de sangramento aumentado está entre as principais nos consultórios de ginecologia. A investigação profissional se inicia sempre excluindo a gravidez e suas complicações. “Toda mulher com vida sexual heterossexual ativa que se queixa de aumento de sangramento, seja no consultório ou na emergência, devemos afastar gestação com um exame de bHCG, já que é a principal causa de sangramento”, diz.

 

Excluído gestação, as causas de sangramento aumentado podem ser não estruturais, como distúrbios da ovulação, coagulopatia ou alterações hormonais; ou estruturais, como miomas, pólipos ou câncer de endométrio ou colo de útero, entre outras. Portanto, é muito importante uma avaliação minuciosa pelo profissional.

 

Dra. Livia Migowski, ginecologista e obstetra da Perinatal

CRM: 52.90682-4

Como calcular o dia da próxima menstruação?

Um ciclo menstrual pode durar entre 21 a 35 dias e, normalmente, o fluxo menstrual varia entre 3 a 7 dias. É claro que estes períodos variam para cada mulher. Portanto, para fazer o cálculo é preciso avaliar individualmente. Se você tem um ciclo regular, observe a partir da data da sua menstruação passada e conte até o primeiro dia da próxima para saber quantos dias aproximadamente tem seu ciclo. Veja mais sobre isso!

 

Saiba como fazer esse cálculo!

 

Segundo a ginecologista Camila Ramos, se a mulher possui um ciclo regular, ou seja, menstrua todo mês, é necessário saber quantos dias dura seu ciclo e fazer o cálculo a partir do primeiro dia da menstruação. “Se uma mulher que menstrua a cada 28 dias teve o primeiro dia de fluxo vermelho vivo no dia 1° de junho, sua próxima menstruação será a partir do dia 28 de junho, por exemplo”, diz.

 

No entanto, nem toda mulher possui o ciclo de 28 dias, já que eles podem variar entre 21 e 35 sendo considerados normais. Uma dica para conseguir descobrir quantos dias tem seu ciclo é anotar o dia que sua menstruação chegou nos, pelo menos, três últimos meses, assim você conseguirá ter uma média deste cálculo.

 

Conte com ajuda de aplicativos de celular

 

Foi-se o tempo em que era necessário marcar na agenda ou no calendário para saber quando chegará a próxima menstruação. Hoje em dia nós podemos contar com aplicativos de celular que fazem esse cálculo por nós. Basta colocar as informações sobre sua última menstruação e especificações do seu ciclo no app e ele avisará quando estiver próximo, além de também indicar quando é seu período fértil e TPM.

 

O seu ciclo menstrual pode variar

 

Se você perceber que as datas da sua menstruação variam a cada mês, não se assuste, isso é comum. Diversos fatores podem causar mudanças no seu ciclo menstrual. “Alterações hormonais como distúrbio da tireoide ou aumento do hormônio da prolactina, uso de pílulas de contracepção de emergência (pílula do dia seguinte), medicamentos, doenças como síndrome do ovário policístico e até estresse pode alterar essa regularidade do ciclo menstrual”, afirma a ginecologista. Para te deixar mais segura, procure sua ginecologista e relate essas irregularidade. Se necessário, o profissional indicará algum tratamento.

 

Camila Ramos, ginecologista e obstetra da Policlínica Granato - CRM: 5295691-0

Estresse pode alterar meu ciclo menstrual: mito ou verdade?

O ciclo menstrual depende de do equilíbrio entre as funções do corpo e os hormônios. Quando há um desequilíbrio podem ocorrer mudanças no ciclo menstrual, como a antecipação, atraso e até ausência da menstruação. Diversos fatores podem influenciar nestas alterações, inclusive o estresse. É comum percebermos alguma diferença no período menstrual quando estamos passando por um momento mais conturbado. Entenda como isso acontece!


 

Estresse pode alterar seu ciclo menstrual
 

De acordo com a ginecologista Livia Migowski, muitos especialistas acreditam que o estresse é o principal motivo para alterações do ciclo menstrual. Afinal, o nosso ciclo menstrual é orquestrado pelo hipotálamo, que é a estrutura do Sistema Nervoso Central e está ligado ao nosso centro de emoções e também ao córtex cerebral. Dessa forma, todos os sentimentos e estímulos que recebemos do ambiente e meio externo são transmitidos ao hipotálamo. “Qualquer nível de estresse já pode ser suficiente para interferir com o estímulo do hipotálamo na hipófise e, consequentemente, aos ovários”, comenta a médica.

 

Para a médica, é muito comum uma mulher notar mudanças no ciclo menstrual quando tem uma viagem marcada ou quando passa por problemas familiares ou no trabalho. “Além disso, depressão e anorexia são doenças psiquiátricas nas quais a mulher pode passar meses sem menstruar”, acrescenta.
 

Como é possível contornar esse quadro?
 

Segundo a médica, a melhor maneira de contornar esse quadro é realmente relaxar, tentar levar uma vida mais calma e manter uma dieta balanceada. “Não esquecer de reservar um horário do dia para fazer algo prazeroso também é importante, além de não se exceder em horas de trabalho e melhorar a qualidade do sono”, recomenda.

 

Se as mudanças na rotina não ajudarem a regularizar o ciclo, será necessário procurar um ginecologista para avaliar adequadamente esta alteração do ciclo menstrual e indicar a melhor forma ajustar.
 

Outros fatores podem influenciar a regularidade do ciclo
 

Outro fatores além do estresse também podem alterar a regularidade do ciclo menstrual. “Medicamentos que atuam no sistema nervoso central, como remédios para enjoo, antidepressivos, calmantes, medicamentos para epilepsia e esquizofrenia”, comenta a ginecologista, acrescentando que o aumento do hormônio prolactina também pode influenciar no ciclo menstrual. Além disso, a diminuição dos folículos ovarianos, como acontece nas mulheres perto da menopausa também podem levar a alteração desse ciclo.


Dra. Livia Migowski, ginecologista e obstetra da Perinatal
CRM: 52.90682-4

Ducha rápida para higiene em dias de menstruação não é o mais recomendado. Veja por quê!

Cuidar do corpo vai muito além do ritual de beleza antes de dormir. A região íntima também merece nossa atenção todos os dias. Mas, para isto, é preciso saber quais são os cuidados adequados para essa região sem causar nenhum prejuízo para a saúde íntima. A ducha d’água, conhecida também como chuveirinho, é um método de limpeza usado por muitas mulheres que levanta questionamentos. Esse excesso de limpeza pode ser prejudicial à flora vaginal? Qual é a higienização correta? Tiramos as dúvidas com uma ginecologista.


 

A ducha d’água não é recomendada para a higiene íntima!

 

Apesar de ser um ato comum para muitas meninas, usar a ducha d’água para fazer limpeza vaginal não é um bom hábito. De acordo com a ginecologista Fernanda Mauro, isto pode causar alterações no ambiente natural da vagina: “A mudança está relacionada com uma desregulação do pH vaginal e da flora que a habita”, diz.

 

A vagina tem um pH próprio, que é ligeiramente ácido e precisa ser mantido para o equilíbrio da flora vaginal. Quando a mulher utiliza o chuveirinho para limpar “melhor” ou mais rapidamente a vagina, além de utilizar produtos de limpeza inadequados, a mucosa protetora da vagina também é removida, deixando o ambiente vulnerável a infecções e irritações.    

 

Nem mesmo durante a menstruação


A ducha rápida não é recomendada nem mesmo como higiene durante seu período menstrual. A médica explica que a mudança do ambiente natural da vagina aumenta o risco de infecções e inflamações. “A pressão gerada pela ducha vaginal também pode levar bactérias externas para dentro da vagina”, acrescenta. Sendo assim, a higiene no banho com sabonete líquido íntimo continua sendo a mais adequada para todas as mulheres.

 

A higiene ideal para os dias de menstruação

 

Além da higiene em dias comuns do ciclo, que é muito importante, também é necessário ficar atenta à higiene durante o período menstrual. “A mudança do absorvente em períodos curtos (a cada 4 horas), lavar a parte externa da vagina, utilizar calcinhas de algodão são bons hábitos para manter uma higiene saudável”, recomenda a ginecologista.  

 

Dra. Fernanda Mauro, ginecologista e obstetra da Perinatal.

CRM: 52-995185

Pages

Latest News

  • Qual é sua tática para dias de cólica forte?
    Quanto a cólica bate, é preciso dar um jeito. O que você faz nessas horas?
  • Verrugas genitais: causas, riscos e como tratar
    A verruga genital é um dos tipos mais comuns de infecções sexualmente transmissíveis....
  • É verdade que o DIU pode não se adaptar ao meu corpo?
    O DIU é um excelente método contraceptivo de barreira, pois é introduzido no útero para...
  • 5 livros com receitas clássicas e elaboradas para aprender a cozinhar
    Já foi tempo em que havia desculpas para não saber cozinhar. Hoje em dia todo mundo pode...
  • Quando uma menstruação é considerada fora da normalidade? Apontamos as principais...
    O ciclo menstrual pode sofrer algumas alterações ao longo dos anos, porém, é preciso...
  • 4 motivos ilustrados com gifs que vão explicar como a menstruação faz das mulheres ainda...
    Por mais que muita gente nos faça crescer acreditando que menstruação é algo sujo e ruim...
  • Pílula anticoncepcional aumenta os seios?
    A pílula anticoncepcional pode causar diversos efeitos colaterais ao corpo,...
  • Corrimento amarelo significa algum problema de saúde? Veja como tratar
    Corrimentos vaginais com cor amarelada ou esverdeada geralmente estão ligados à infecções...
  • Maquiador de famosas internacionais dá dicas perfeitas para limpar pincéis de maquiagem
    Para a maquiagem ficar bonita, a gente já sabe que a pele também precisa estar bem...
  • Quanto tempo leva para a menstruação ficar regular na adolescência?
    Após a menarca, que acontece normalmente entre os 12 e 15 anos, muitas meninas observam...
  • É possível sentir o DIU durante a relação sexual?
    O DIU é um método contraceptivo eficiente, de longa duração e muito prático, já quem...